O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, enviou uma carta ao atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), para agradecer o que chamou de “gesto de solidariedade” no caso que impediu sua transferência. (Confira a carta abaixo).

Maia chegou a travar a votação dos destaques da Previdência para que deputados fossem ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir ao ministro Dias Toffoli que Lula não fosse levado para Tremembé, em São Paulo.

No último dia 7, Rodrigo Maia afirmou que adeterminação da Justiça de transferir o ex-presidente Lula de Curitiba para São Paulo era uma “decisão extemporânea” e se colocou à disposição da bancada do PT na Casa para que “o direito do ex-presidente seja garantido”.

A discussão sobre a transferência do ex-presidente dominou parte do tempo de debate sobre os destaques apresentados à reforma da Previdência. Parlamentares alinhados ao presidente Jair Bolsonaro comemoraram a decisão judicial, como a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), mas outros parlamentares de partidos de centro criticaram.

“De fato, não é uma decisão simples, é uma decisão extemporânea. Aquilo que a presidência da Câmara puder acompanhar com a bancada do PT, estamos à disposição para que o direito do ex-presidente seja garantido”, disse Maia.

Por 10 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) impediu a transferência do ex-presidente Lula para o presídio em Tremembé, em São Paulo.

Foto: Divulgação

Imprimir

Fonte:

Estado de Minas