Mais um caso de febre maculosa está em investigação em Divinópolis. Dessa vez, o paciente é um homem, que não teve a idade revelada, e foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no início da semana. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (18) pela Vigilância em Saúde da Prefeitura.

Amostras de sangue do paciente foram colhidas e enviadas para análise na Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte.

O paciente é morador da cidade de São Sebastião do Oeste, mas trabalha na zona rural de Divinópolis. O homem deu entrada na UPA com sintomas da doença.

Até o momento, Divinópolis tem quatro casos confirmados de febre maculosa, dos quais três resultaram em morte das vítimas da doença. No total, a cidade está com 10 casos em investigação.

Em setembro, uma mulher de 40 anos morreu após dar entrada da UPA da cidade e a febre maculosa era uma das possíveis causas da morte.

Interdições

Os casos de febre maculosa começaram a surgir em junho em Divinópolis e colocaram em alerta as autoridades do setor de saúde. Como a doença é transmitida por meio da picada de carrapato, um trabalho de controle da proliferação do aracnídeo começou a ser desenvolvido na cidade.

Entre as ações, houve a interdição de locais com infestação ou risco de infestação de carrapatos, como os campos de futebol e escola.

Permanecem interditados na cidade desde o dia 26 de setembro quatro campos de futebol, sendo um no Bairro Candelária, um na Rua Bom Sucesso (no Bairro Porto Velho) e dos dois no Bairro Manoel Valinhas.

Os campos foram interditados após uma varredura feita pela Vigilância identificar infestação do carrapato estrela, transmissor da febre maculosa.

O Estádio Waldemar Teixeira de Faria, o “Farião”, o Centro de treinamento do Flamengo e o campo do Clube dos Servidores também chegaram a ser interditados, mas foram liberados após dedetizações.

No início de agosto, o Município interditou o Parque da Ilha após a confirmação da morte de duas pessoas por febre maculosa e que teriam frequentado o local dias antes de apresentarem os sintomas. O parque permanece interditado por tempo indeterminado.

Escola

A Escola Municipal Darcy Ribeiro também teve as atividades interrompidas e foi interditada pela Vigilância em Saúde no dia 3 de setembro, após um caso de febre maculosa ser confirmado em uma aluna da instituição.

Na época, a Prefeitura decidiu transferir funcionários e estudantes para a Escola Estadual São Vicente, também localizada no Niterói. Essa transferência é por tempo indeterminado.

De acordo ainda com a Prefeitura, atualmente o imóvel onde funcionava a escola é usado como depósito de alguns materiais da Secretaria de Educação e de outros setores da Prefeitura.

A administração municipal, no então, informou que estuda transferir a Secretaria Municipal de Cultura para o imóvel da instituição de ensino.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, atualmente, as salas usadas pela Secretaria de Cultura, no Centro, são alugadas e o imóvel da escola é de propriedade do Município. A transferência, no entanto, ainda depende de adequações.

Febre maculosa

O primeiro caso confirmado da doença em Divinópolis foi o de uma jovem de 24 anos. Ela morreu no dia 30 de junho após dar entrada no Hospital São João de Deus (HSJD) com dores no corpo e febre alta.

O segundo caso é o de um idoso de 81 anos que morreu no dia 23 de julho. Ele foi internado no Hospital Santa Mônica com febre alta e dores no corpo. A vítima chegou a ser encaminhada à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas não resistiu.

(Foto: Flaviane Oliveira/G1)

 

 

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários