Após a morte de uma médica, de 47 anos, em Divinópolis, a Prefeitura  confirmou na manhã desta quinta-feira (9) outro óbito por coronavírus na cidade.

A outra vítima é uma idosa de 81 anos moradora de Nova Serrana, mas que estava internada em Divinópolis.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Amarildo Sousa, em entrevista coletiva via Instagram, as mortes ocorreram nessa quarta-feira (8).

Ainda segundo Amarildo, independente das comorbidades destas pacientes ambas testaram positivo para a Covid-19 e estavam internadas no Hospital Santa Mônica há cerca de duas semanas. Detalhes dos prontuários das vítimas são protegidos por sigilo médico e não serão divulgados.

Em nota, a Prefeitura de Nova Serrana negou que o caso da idosa esteja confirmado e diz que foram feitos testes e a morte é tratada como suspeita para o vírus. Ainda segundo a Prefeitura, o resultado do exame sai na próxima semana, e será cumprido o protocolo do Ministério da Saúde.

O Boletim Municipal Diário da Prefeitura, divulgado nesta quarta-feira (8), apontou que Divinópolis tem 19 casos positivos de coronavírus. Três a mais que o informe da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), publicado no início da tarde.

Restrições mantidas

Durante a coletiva, a diretora de Vigilância em Saúde, Janice Soares, disse sobre o movimento de pessoas nas ruas e destacou que, caso continuem desrespeitando as orientações, o município terá que adotar medidas mais energéticas.

De acordo com Janice, a cidade não irá comportar o número de pessoas doentes se as medidas de precaução não forem tomadas.

“Precisamos que a população atenda as orientações, o isolamento é necessário. As pessoas que porventura estejam indo para a rua sem necessidade, repensem. Mesmo não apresentando os sintomas do vírus, não significa que você não esteja transmitindo. A ficha tem que cair, a cidade nos três últimos dias está um movimento absurdo”, disse.

O secretário de saúde informou que o fechamento do comércio, com exceção dos serviços essenciais e segmentos já liberados, continua por tempo indeterminado. Na segunda-feira (13), o Executivo fará uma nova avaliação da situação na cidade e a condição poderá ser prorrogada.

“Temos o problema da subnotificação, ou seja, pode ainda ter casos que não foram relatados oficialmente por causa da dificuldade, neste momento de testes, priorizando as pessoas hospitalizadas”, frisou o secretário.

Hospital de campanha

Amarildo divulgou também que a partir da próxima segunda-feira (13), o hospital de campanha montado no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto passará a receber pacientes com coronavírus.

A estrutura montada com recursos do município tem 40 leitos: 20 foram destinados para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 20 para pacientes em observação.

Ainda como aponta Amarildo, o hospital temporário dispões de equipamentos médico-hospitalares, como respiradores, soros, monitores multiparâmetros, álcool, capotes, seringas e esparadrapos.

Estarão disponíveis também, agulhas, cateteres, algodão, luvas, máscaras, além de mais de oito mil insumos médicos como dipirona e paracetamol.

Fonte: G1

 

 

Imprimir
Comentários