A professora Márcia Ordones Lemos Saleh do Unifor-MG concluiu mestrado profissional em Desenvolvimento Regional, na Linha de Pesquisa: Inovação e Desenvolvimento Regional, pela Universidade do Estado de Minas Gerais/UEMG. Ela ministra aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo, nas seguintes disciplinas: introdução à arquitetura; projeto; representação gráfica; desenho urbano e trabalho de Tonclusão de Curso (TCC).

A docente defendeu, no dia 8 deste mês, a sua dissertação “O Rio e a Cidade: análise dos conflitos urbanos para implantação da infraestrutura verde no entorno do rio Itapecerica no município de Divinópolis / MG”. Ela leciona no Centro Universitário de Formiga desde 2005.

“Para realizar esse sonho, o Unifor-MG forneceu todo o suporte e apoio que eu precisava. Acredito que o mestrado confirma a certeza de que ser professora é ensinar e aprender sempre. Quero dividir essa alegria com todos do Centro Universitário de Formiga e, principalmente, com meus alunos”, ressaltou Márcia.

Pesquisa

De acordo com a professora, com o desenvolvimento urbano, o rio e seu entorno passam a merecer atenção especial. Ela argumentou que, por meio de leis específicas, surgem tentativas de preservação e valorização desses espaços que, por várias décadas, foram esquecidos. O estudo apresenta base teórica sobre diversos temas relacionados à questão da água e à forma de ocupação do espaço urbano.

“Começa com a origem das cidades, sua forte relação com os rios, até os dias atuais, quando ocorre a ruptura dessa relação. Nos últimos anos, a preocupação ambiental ganha impulso. A participação da população e a valorização do entorno dos rios são questionadas. No estudo, foram caracterizadas questões referentes à água, como qualidade, legislação ambiental e a sua importância no Brasil e no mundo. Também apresentamos as bacias hidrográficas e o nosso objeto de estudo, o Rio Itapecerica”, destacou.

Márcia afirmou que o trabalho teve como objetivo discutir possibilidades de planejar e projetar, de forma sustentável, a ocupação no entorno dos rios urbanos.

De maneira qualitativa, foram obtidas informações em órgãos, instituições públicas e privadas, em pesquisas bibliográficas, em visitas de campo e documentação fotográfica de 2015 da região do Rio Itapecerica, onde foram feitos os mapeamentos do uso e ocupação do solo, cobertura vegetal, áreas inundáveis, erosão e ocupação irregular das margens.

A professora apontou que tais leituras, análises e diagnósticos da paisagem ambiental e dos conflitos urbanos levaram ao desenvolvimento da proposta de infraestrutura verde no entorno desse importante curso hídrico.

 

Fonte: Unifor-MG ||

print

Comentários