Com a presença de cerca de 20 prefeitos, diversos vices, vários secretários municipais, inúmeros vereadores, empresários, dirigentes de entidades de pesca e de outras atividades econômicas que dependem do lago, empresários do ramo de turismo e um grande número de munícipes das cidades do entorno de Furnas aconteceu na manhã desta segunda feira, (7) na cidade de São José da Barra (barragem da represa de Furnas), sob os auspícios da Alago, mais uma manifestação em defesa da manutenção de uma cota mínima (762), no Lago.

A abertura dos trabalhos ficou por conta do secretário da Associação dos Municípios do Lago de Furnas, Fausto Costa, incansável batalhador na defesa dos interesses dos municípios lindeiros. 

O presidente da Alago, prefeito da cidade de Boa Esperança, Hideraldo Henrique Silva, abriu a série de discursos mostrando a todos a necessidade de união, única forma capaz de sensibilizar o governo federal, mais notadamente os gestores do sistema hidrelétrico nacional (ANA – ONS – ANEEL – Ministério do Meio Ambiente – Ministério do Turismo – Ministério da Agricultura e Pesca e outros órgãos federais) alertando-os sobre os graves problemas, inclusive de grande repercussão econômica, sofridos pelo Estado de Minas com a adoção desta esdrúxula política de liberação de água, além do necessário para a geração de energia e que é causadora de tudo.

Outros prefeitos, como o ilustre Professor Djalma Carvalho, da Cidade de Cristais, também fez o uso da palavra e demonstrou, mais uma vez, de maneira lúcida e simples, sua indignação com este e anteriores governos que (a exceção de Itamar Franco) não moveram uma palha sequer na defesa dos interesses mineiros que, até então, tem se sucumbido diante dos interesses de São Paulo e de outros estados a jusante da bacia do Rio Grande.

O jornalista Paulo Coelho, que há anos encabeça lutas juntamente com a Alago em busca de manutenção da cota mínima, fez uso da palavra e em poucos minutos deixou clara sua perplexidade com o fato de agora, 1 ano após o recrudescimento da batalha encabeçada pela Alago, o ocupante do Palácio da Liberdade, que em sua opinião deveria ser o principal interessado, liderando tal movimento, ainda não tenha dito uma palavra em defesa dos interesses que, conforme disse o jornalista, não são só da região, são de todo o estado de Minas.

Foram inúmeras as falas de prefeitos e vereadores e, ao final dos trabalhos, o “formiguense” João de Assis, discípulo de George Norman Kutowa, reconhecido como um dos maiores defensores da causa turística em Minas Gerais, também deu seu recado, e a seguir falaram os deputados:  – federal: Emidinho Madeira e os estaduais- Cássio Soares e Professor Clayton, estes últimos integrantes da Frente Parlamentar Itamar Franco, especialmente  constituída com a finalidade de defender os interesses dos lindeiros de Furnas.

Professor Clayton lembrou que já temos uma frente parlamentar mineira e uma federal em defesa do Lago de Furnas e que, naquele momento, concitava as centenas de estudantes presentes a criarem também uma frente estudantil nos mesmos moldes, deixando a cargo deles a tarefa de fazerem circular um abaixo assinado eletrônico, visando a coleta de alguns milhares de assinaturas para que mostremos ao governo federal qual é o real interesse do povo mineiro sobre este assunto.

Emidinho, assim como ex-presidentes da Alago que também falaram, lembrou os presentes sobre a necessidade de um grande movimento que, demonstrando a união de diversas forças, seja capaz de enfrentar os perigos que se avizinham com a possibilidade de privatização das empresas do sistema elétrico. 

Houve ao final uma reunião rápida entre os deputados e prefeitos presentes para que fosse ajustada uma visita ao presidente da ONS e a outros gabinetes federais no sentido de se resolver, de imediato, o problema.

Houve também a sugestão de se transformar (afirmar) esta exigência, através de emissão de uma lei que regule a matéria. 

As principais redes de TV nacionais e as sediadas no sul de minas, assim como outros órgãos de imprensa, cobriram o evento.

Prefeitos presentes: Hideraldo Henrique Silva (Boa Esperança); Édson José Ferreira (Cabo Verde); José Eduardo (Capitólio), Tião Nara (Carmo do Rio Claro); Rossano de Oliveira (Coqueiral), Djalma Carvalho (Cristais), Osmar Leal (Fama), Nelson Alves (Guapé), Isa Meneses (Nepomuceno), José Tibúrcio do Prado Neto (Netinho) (Paraguaçu), Ailton Faria (Pimenta), Paulo Sérgio (São João da Barra), Marcelo Chaves (Três Pontas). Mandaram representantes os prefeitos das cidades de Campo Belo, Campos Gerais, Elói Mendes, Ilicínea.

A cidade de Formiga esteve representada pelos secretários Leyser Rodrigues (Gestão Ambiental), Alisson Sá (Administração e Desenvolvimento Econômico) e Fernanda Cunha (Circuito Grutas e Mar de Minas).

Imprimir
Comentários