Apoiadores de Jair Bolsonaro fizeram neste domingo (21) atos de apoio ao presidente em razão de seu aniversário de 66 anos. Os grupos se reuniram em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, e na porta do condomínio onde Bolsonaro tem casa no Rio de Janeiro. Muitos não usavam máscaras.

Em Brasília, os apoiadores se reuniram em frente ao Museu da República e foram em carreata até o Alvorada.

O presidente foi ao encontro dos apoiadores no espelho d’água do palácio e causou aglomeração. Ele cumprimentou alguns deles e pegou uma criança no colo. Cortou um bolo e o entregou pela grade.

Durante o tempo em que estiveram próximo aos apoiadores, Bolsonaro e a primeira-dama, Michele Bolsonaro, tiraram as máscaras que estavam usando.

No Rio, os apoiadores se aglomeraram na entrada do Vivendas da Barra, condomínio na Zona Oeste do Rio onde o presidente tem casa. A maioria não usava máscaras. Uma banda tocava hinos militares.

No mesmo horário, uma carreata partiu da Zona Sul do Rio em direção à Barra da Tijuca, para se juntar ao ato.

Também um grupo de apoiadores organizados em movimento autointitulado do povo brasileiro e em favor da família reuniu-se mais uma vez, no 12º Batalhão de Infantaria, no Barro Preto, Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Carros de som no protesto do Rio

Em carros de som, os manifestantes gritavam palavras de ordem contra “a ditadura comunista” e contra o ex-presidente Lula (PT).

Os manifestantes também reclamavam do prefeito Eduardo Paes e do decreto que “fechou a orla”. “Nós vamos invadir a praia! Nós somos livres!”, dizia uma delas.

Pouco depois do meio-dia, agentes de trânsito e guardas municipais dispersaram os manifestantes da porta do condomínio com base nas restrições decretadas por Paes.

Assim como ninguém pode pisar na areia ou mergulhar no mar, também está proibido estacionar nas vagas das praias — com a exceção de moradores.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários