O vereador José Gilmar Furtado (Mazinho/DEM) se manterá a frente do Legislativo formiguense até o final deste ano. A eleição para a escolha do novo presidente ocorreu na tarde desta segunda-feira (22) durante a reunião ordinária da Câmara Municipal.
Mazinho recebeu cinco votos contra quatro do outro candidato ao cargo de presidente, o vereador Gonçalo Faria/PSB. Cada candidato justificou por que estava concorrendo à presidência.
O edil José Aparecido Monteiro (Zezinho Gaiola/PMDB) revelou no plenário durante a votação a sua opção de se abster do voto. ?Eu tenho pouco tempo que estou na Casa. Conheço os dois candidatos, pessoas íntegras, pessoas boas, mas, politicamente falando eu ainda não conheço. Eu quero dizer que eu vou me abster do voto, por motivo de não ter conhecido o trabalho da Casa, porque eu estava afastado da política há seis anos e meio. Eu não tenho tempo para seguir o trabalho da Casa. Dei o meu palpite que seria de ajuntar os vereadores e fazer uma coisa íntegra, com bom senso para que não tivesse repercussão que está tendo dentro da Casa e talvez até na mídia. Proponho a vocês, para o próximo ano, antes de ter a eleição, fazer uma convocação e colocar os nomes dos que estão à disposição de ser presidente e nós dez, escolher internamente para depois levar à presidência ímpar e sem a discussão que há nesta Casa durante as eleições. Eu fui vereador de 2001 a 2004 e sei como que é, é um corre-corre, é um disse-me-disse. Tem hora que até comentário de suborno tem. Eu sou uma pessoa muito integra e sincero nas coisas que falo, e não tenho nada a temer, então vou me abster do voto?, explicou o vereador. Caso Zezinho Gaiola tivesse votado em Gonçalo Faria, a eleição ficaria empatada e Gonçalo venceria por ser o mais velho.
Desde a perda dos direitos políticos de Moacir Ribeiro, em julho, então presidente do Legislativo, o vice-presidente Mazinho assumiu os trabalhos como representante da Casa.
Na reunião passada, na terça-feira (16), Gilmar Furtado disse que ?ocupou o cargo de presidente da Casa em virtude de uma ordem judicial enviada pelo juiz da Vara de Execuções Penais e também pelo entendimento da assessoria jurídica desta Casa era de que não haveria necessidade de uma nova eleição, o que foi levado ao conhecimento do Ministério Público também. O senhor promotor também tem o entendimento de que o vice assume na falta do presidente, isso é óbvio em todo o país. Agora, como a assessoria jurídica desta Casa emitiu um parecer jurídico informando a necessidade de uma nova eleição, vamos abrir todo o processo eleitoral para a escolha do presidente desta Casa, pois os trabalhos desta Casa não podem parar e não adianta segurar o que tem que cair. Digo isso com tranquilidade, pois não tenho compromisso com o erro e sim com a população formiguense, agora, se o entendimento mudou e o regimento é contraditório, o correto é fazer uma nova eleição, vamos realizar sim uma nova eleição, que será no dia 22 de agosto?.
De acordo com o artigo 16 do Regimento Interno da Câmara, na falta do presidente, quando ocorrer antes da data de 30 de novembro, uma eleição deve ser realizada.
Após o resultado da eleição, Mazinho agradeceu aos vereadores e atribuiu a vitória à justiça divina. Referindo-se ao Regimento Interno da Câmara, Gonçalo Faria disse que o Legislativo voltava à legalidade.
A mesa diretora da Câmara está composta por Mazinho (presidente), Rosimeire Mendonça (Meirinha/PMDB, vice-presidente), Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginaldo/PCdoB (primeiro-secretário) e Cid Corrêa/PR(segundo-secretário).

Imprimir
Comentários