O Ministério Público solicitou, na última sexta-feira (11), à Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas, o afastamento de um médico otorrinolaringologista do Sistema Único de Saúde (SUS) do município.
O MP entrou com duas ações, uma criminal e outra civil, contra o médico por corrupção, improbidade administrativa e prevaricação.
Segundo o promotor Leandro Martinez, pelo menos dez pacientes confirmaram que o médico levava para a clínica particular dele os pacientes que chegavam para o atendimento do Sistema Único de Saúde da cidade.
O médico atendia as pessoas no ambulatório municipal, indicava cirurgia quando necessário e dizia aos pacientes que a cirurgia iria demorar de 2 a 3 anos pelo SUS, sendo que para a cirurgia acontecer ele só precisava encaminhar o pedido para a Secretaria de Saúde de São Sebastião do Paraíso, explica o promotor.
As testemunhas disseram ainda para o Ministério Público que quando chegavam à clínica, o médico oferecia pacotes, com preços em torno de R$ 900,00, para realizar as cirurgias.
O médico se valia de sua posição de servidor público de saúde para arregimentar pacientes do SUS para o seu consultório particular. Agia com ma fé e deslealdade em relação ao município e ao sistema de saúde público, argumentar Martinez.

print
Comentários