Um trabalho publicado no início de julho na revista Pediatrics comprovou a ligação entre um pescoço mais largo e ocorrência de complicações por excesso de peso. Para chegar ao resultado, os pesquisadores tomaram medidas de altura, peso, perímetro de cintura e de pescoço de mais de mil crianças e adolescentes nos EUA.
Com base nesses dados, foram estabelecidas medidas-limite para separar crianças com mais ou menos risco de problemas ligados ao excesso de peso. Assim, um menino de dez anos com mais de 32 centímetros de pescoço tem 15 vezes mais chance de ter problemas. Os médicos argumentam que a medida do pescoço é mais precisa que o conhecido Índice de Massa Corporal (IMC), usado para classificar peso normal, sobrepeso e obesidade.
A medida do pescoço já é usada para detectar gordura visceral em adultos – muitos com alto índice dessa gordura são homens com pernas finas, que parecem magros. Outra doença que tem ligação com o perímetro do pescoço é a apneia do sono – pausas na respiração enquanto a pessoa dorme – que está ligada ao pescoço mais grosso, com gordura que comprime a faringe e dificulta a passagem do ar.

Imprimir
Comentários