Redação Últimas Notícias

O resultado do segundo Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LirAa) realizado neste ano apontou uma queda no índice de infestação de 2,5%. Apesar disto, Formiga continua em alto risco para surto de dengue, de acordo com o Ministério da Saúde.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 5 deste mês e apontou um índice de 7,6%. Na primeira pesquisa realizada entre os dias 16 e 18 de janeiro, o resultado foi de 10,1%. Já em comparação com abril do ano passado o índice teve um aumento de 1,9%.

As estatísticas apontam que, com resultado entre 0 e 0,9, o município enquadra-se em situação de baixo risco. De 1,0 a 3,9, é médio risco e, acima de 4,0, é considerado alto risco.

O LirAa foi coletado em 1.800 imóveis, entre residências, terrenos baldios e comércios e assim como no primeiro resultado deste ano, a maioria dos focos do Aedes aegypti foram encontrados nas residências. “Os focos estão mais presentes em depósitos ao nível do solo e fixos, como tanques, tambores, calhas e lajes. Depois, vêm os focos em depósitos móveis, como recipientes plásticos, garrafas, latas e sucatas; e, por último, em pneus, informou o gerente de Endemias, Carlos Antônio de Castro.

Ainda de acordo com Carlos, na primeira semana de abril, os agentes do Setor de Endemias realizaram 3662 visitas a residências. Dessas visitas 653 residências se encontravam fechadas.

 Ações

 De acordo com a Prefeitura, o Setor de Endemias intensificará as ações de campo e educativas em combate ao Aedes Aegypti. Os agentes irão realizar um trabalho diferenciado nos bairros onde o índice foi mais alto, além do tratamento focal, eles irão reforçar o trabalho educativo nessas localidades.
Segundo Carlos, os agentes já estão realizando a aplicação de inseticida (UBV Costal) nas localidades onde estão sendo notificados casos prováveis por dengue. “O objetivo é eliminar o mosquito adulto da região próxima da residência do paciente e evitar novas notificações, caso a sorologia do paciente venha positiva para dengue. Ainda estaremos realizando várias ações educativas com a intenção de mobilizar a comunidade e alertar sobre os riscos, caso não aja prevenção contra a doença”.

A Prefeitura informou ainda que está buscando novas parcerias que envolvam um número maior de pessoas na luta contra a dengue. A pasta convoca a população para que também se posicione no combate ao Aedes aegypti, uma vez que a maioria dos focos está nas residências.

 Casos de dengue

De janeiro deste ano até o momento, Formiga teve 62 casos notificados prováveis por dengue. Desses, 11 com resultados negativos, dois positivos, um indeterminado e um inconclusivo. Não foram registrados na cidade casos suspeitos ou confirmados de Zika e Chikungunya.

 

 

 

 

Imprimir

Comentários