Um caso inusitado acabou interrompendo um julgamento nessa terça-feira (26), na cidade de Mendoza, na Argentina. Um homem teve uma “crise de miado” e obrigou que a magistrada interrompesse a sessão que o julgava.

O réu se chama Nicolas Gil Pereg e tem 40 anos. Ele é julgado por acusações de ter matado a própria mãe e a tia, ainda em 2019. O homem é israelense e recebeu as parentes em 12 de janeiro daquele ano – em 26 do mesmo mês a polícia achou os corpos das mulheres enterrados no quintal de Nicolas.

Formado em engenharia eletrônica e tendo o status de ex-soldado de Israel, Nicolas foi para Argentina tentar montar um restaurante ainda em 2009.

Assim que entrou no tribunal, Nicolas foi colocado em um banco em frente à juíza. Quando a magistrada começou a falar, o homem começou a “miar”, e mesmo ela tendo pedindo silêncio, o israelense não parou. O resultado foi a retirada do tribunal.

Segundo informações da rádio argentina Positiva, Nicolas “miou” 55 vezes até ser tirado do local.

Fonte: Estado de Minas

 

print
Comentários