O indicador de criminalidade violenta (ICV) do primeiro trimestre de 2009, apurado pela Fundação João Pinheiro (FJP), em Minas Gerais, lançado oficialmente no site da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) esta semana, aponta queda da ordem de 21,51% na criminalidade violenta na comparação com o mesmo período de 2008.
Entre janeiro e março de 2009 foram registradas, em média, 26,13 ocorrências para cada grupo de 100 mil habitantes. Em contrapartida, nos mesmos meses de 2008, foram verificadas, em média, 33,29 ocorrências por 100 mil habitantes.
Ao mesmo tempo, a comparação entre o primeiro trimestre de 2007 e o mesmo período de 2009 revela queda de 29,77% na taxa. Entre janeiro e março de 2007, a média havia sido de 37,21 ocorrências por cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados da fundação confirmam a tendência observada nos números preliminares do Centro Integrado de Informações de Defesa Social (Cinds), anunciados no dia 4 de junho deste ano, que já indicavam redução do ICV em Minas Gerais aos patamares do início da década.
O último Boletim de Informações Criminais, divulgado pela FJP, aponta significativa redução também no item de crimes violentos contra a pessoa. A queda foi da ordem de 27,48% na comparação entre o primeiro trimestre de 2009 e o trimestre equivalente em 2008.
Isso reflete a passagem do patamar de 5,57 ocorrências para cada 100 mil habitantes entre janeiro a março de 2008 para 4,04 ocorrências por 100 mil habitantes no mesmo período de 2009. A distribuição espacial dos crimes violentos contra a pessoa, também mantém o padrão anteriormente observado, no qual as maiores taxas se concentram em um vetor imaginário que cruza o estado do noroeste para o leste.
Quanto aos homicídios consumados, os municípios mineiros com população superior a 100 mil habitantes registraram redução de 15,13% em suas taxas médias na comparação entre os primeiros trimestres de 2008 e 2009. Entre janeiro e março de 2008, foram registradas, em média, 2,36 ocorrências deste tipo de crime por 100 mil habitantes. A taxa reduziu para duas ocorrências por 100 mil habitantes nos mesmos meses de 2009.
No caso de roubos, registrou-se a expressiva queda, da ordem de 25,06%, da taxa média trimestral, quando comparados os primeiros trimestres de 2008 e 2009. Entre janeiro e março de 2008, foram registradas 58,94 ocorrências de roubos para cada grupo de 100 mil habitantes. Considerando-se o mesmo período do ano de 2009 foram registradas 44,16 ocorrências para cada grupo de 100 mil habitantes.
Em relação aos crimes violentos, a queda foi de 23,89%, passando de um patamar de 87,48 ocorrências por 100 mil habitantes no primeiro trimestre de 2008 para 66,58 ocorrências por 100 mil habitantes no primeiro trimestre de 2009.
Na comparação entre os primeiros trimestres de 2009 e 2007, a redução foi da ordem de 30,51%, uma vez que o patamar médio nos três primeiros meses de 2007 foi de 95,81 ocorrências por grupo de 100 mil habitantes.

print
Comentários