A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou, nesta quinta-feira (6), que cinco pessoas morreram vítimas da febre maculosa no estado em 2019. Março teve um óbito registrado, e maio, quatro.

A transmissão em seres humanos ocorre por meio da picada do carrapato infectado pela bactéria causadora da doença.

Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, é a cidade com maior número de mortes: 3. Faria Lemos e Raul Soares, ambas na Zona Mata, tiveram uma morte cada.

Segundo a SES, além das cinco mortes, outros dois casos — um em Faria Lemos e um em Governador Valadares, no Leste de Minas — tiveram diagnóstico positivo para febre maculosa, totalizando 7 casos confirmados no estado neste ano.

Em 2018, foram 58 confirmações, sendo 22 mortes. Já em 2017, 36 pessoas foram infectadas pela doença, e 19 morreram.

O número de casos sob investigação não foi divulgado pela Secretária de Estado de Saúde.

Contagem
Já chega a 33 o número de casos notificados de febre maculosa em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, de acordo com a prefeitura.

O último foi registrado nesta quarta-feira (5). O paciente é um morador do bairro Eldorado, em Contagem, que procurou atendimento alegando ter tido contato com o carrapato-estrela, vetor da doença, em Betim, também na Grande BH.

A cidade está fora da área considerada de risco, onde 128 pessoas entraram em um terreno para fazer um cercamento. O local fica no bairro Vila Boa Vista, na Região do Nacional, em Contagem.

Além das três mortes confirmadas em Contagem, uma quarta segue sob investigação. Todas as pessoas eram da mesma família.

Imprimir

Fonte:

G1