Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do norte adotaram restrições na venda de bebidas alcoólicas a partir da 6h de domingo (26), quando ocorre a votação do segundo turno da eleição presidencial. A decisão sobre a venda de bebidas na véspera da votação fica a critério da Secretaria de Segurança Pública de cada estado, já que não há lei nacional proibindo a comercialização do produto.
Em três estados, a proibição da venda de bebidas começa neste sábado (25): no Maranhão, a partir das 18h, no Amapá, às 20h e, no Amazonas, às 22h.
No Distrito Federal e nos estados de Mato Grosso do Sul, Roraima, Alagoas, do Pará, Piauí e Ceará, a proibição começa a valer no início da madrugada de domingo. No Acre, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública não soube informar o horário de início da proibição.
Nos estados do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, de Santa Catarina, Pernambuco, Goiás e Mato Grosso, a venda de bebidas no dia de votação será livre. Já em Rondônia e no Tocantins, haverá restrição em algumas zonas eleitorais, mas não em todo o estado.
Os governos do Rio de Janeiro, de São Paulo, da Paraíba e Bahia ainda não decidiram se será proibida a venda de bebida alcoólica no dia da eleição.

Imprimir
Comentários