Com o objetivo de diagnosticar precocemente possíveis casos de câncer de mama e diminuir a taxa de mortalidade pela doença em Minas, será realizado, até dezembro, um trabalho de rastreamento do câncer de mama. Portanto, o exame de mamografia será realizado de forma ilimitada por todos os prestadores de serviço do Estado. O recurso para pagamento dos exames será fornecido pelo governo federal.
A meta é fazer mamografia em 60% das mulheres com idade entre 50 e 69 anos e que estejam saudáveis, sem nódulo, sem dor e sem os sintomas da doença. Para alcançar esse objetivo devem ser realizadas mamografias em cerca de 724 mil mulheres.
A faixa etária escolhida deve-se ao fato de que a doença se concentra com maior facilidade nessa etapa da vida. No entanto, todas as mulheres com idade a partir de 40 anos também poderão participar. Para a realização dos exames, existem em Minas 159 serviços disponíveis de mamografia em 64 municípios. Formiga é um deles. Em 2008, foram realizados 227.836 mamografias no Estado.
Ao promover a realização do exame em mulheres saudáveis, a iniciativa busca a detecção precoce da doença. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), programas de rastreamento por mamografia podem reduzir a mortalidade por câncer da mama em um terço entre as mulheres de 50 a 69 anos. ?Quanto mais cedo diagnosticado o câncer, maiores são as chances de cura, a sobrevida e a qualidade de vida do paciente? , destacou o coordenador do Programa Estadual do Câncer do Colo de Útero e de Mama da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Sérgio Bicalho.
Além da realização da mamografia, serão disponibilizados cerca de 22 milhões para realização de exames complementares no diagnóstico do câncer. ?Esse financiamento garante que outros procedimentos, como por exemplo, o ultrassom e a pulsão, sejam realizados para auxiliar na definição do diagnóstico? , explica o coordenador.

print
Comentários