Dia após dia, a Covid-19 avança e coloca os municípios mineiros em alerta máximo. Mas, além do coronavírus, a dengue também preocupa as autoridades de saúde. Em apenas sete dias, a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti pode ter feito 2.867 novas vítimas no Estado.

Agora, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), são 71.617 casos prováveis – que incluem as notificações suspeitas e confirmadas – em Minas. O dado é de segunda-feira (25). Na semana passada, eram 68.750 registros da doença.

O número de mortes não teve alteração. São seis óbitos neste ano. Os pacientes que perderam a vida eram de Alfenas, Medina, Guaxupé, Itinga, Carneirinho e Raposos. Outras 34 mortes suspeitas seguem em investigação.

Distribuição

Conforme o balanço da SES, 25 cidades encontram-se com incidência muito alta para os casos de dengue e outras doenças provocadas pelo Aedes. Em 42 municípios, a classificação é alta. Belo Horizonte e mais 114 localidades têm incidência média para as notificações prováveis.

Chikungunya e zika

Até o momento, o Estado tem 1.463 casos suspeitos e confirmados de chikungunya. Uma morte pela doença, em Campo Belo, está em apuração. Há, ainda, 347 notificações de zika, sendo 38 em gestantes. As duas enfermidades também são provocadas pelo Aedes aegypti.

Matéria do Hoje em Dia

Imprimir
Comentários