Saiu para Minas Gerais o Troféu Lamartine Babo, grande prêmio do Festival Nacional da Canção (Fenac) de 2018. A final foi disputada na noite de sábado (8), em Boa Esperança. Thaylis Carneiro, de 30 anos, foi a vencedora com a música Carmim. Nascida em Leopoldina, a cantora e compositora vive há quatro anos em Cataguases na Zona da Mata.

“É um reconhecimento enorme de um trabalho. A gente que é artista costuma dizer que não vive de música, mas sobrevive. Não poderia estar mais feliz. Completo 31 anos no fim de setembro e o presente veio antecipado” declarou Thaylis. A cantora deixou Boa Esperança rumo a Juiz de Fora, onde tinha show agendado para a noite desse domingo (9).

Além do troféu, Thaylis levou R$25 mil para casa. A cantora se apresentou ao lado dos músicos e parceiros Gerê (contrabaixo), Gabriel Azevedo (guitarra), e Vítor Oliveira (bateria), defendendo uma composição sua, numa edição do Fenac marcada por significativa participação de mulheres. “A mulherada brilhou em 2018. Nós estamos dominando tudo. E o bacana é que muitas, como foi o meu caso, interpretaram canções que fizeram,  provando a força da mulher na composição também. É muito importante nós podermos mostrar nosso talento”, diz Thaylis, que estudou canto na  Universidade de Música Popular (Bituca), em Barbacena.

Inspiração

Carmim nasceu a partir de um curta-metragem homônimo rodado em Cataguases e produzido por um projeto social no município. Quando tomou contato com o roteiro, Thaylis Carneiro não teve dúvidas de que queria fazer a música para a produção. ‘’É sobre uma artista plástica que está no seu ócio criativo. Até que, um dia, ela se depara com uma situação que a inspira e a faz voltar a criar. A ideia da letra é que a gente acha que os outros são responsáveis por tudo o que acontece com a gente. E não é bem assim”, afirma.

Mesclando blues com uma pitada brega, Carmim é um ponto fora da curva na carreira da artista mineira. “Sou uma mulher do samba de raiz. Nunca tinha feito nada desse estilo. Mas achei bacana essa mistura. O Brasil é esse caldeirão de estilos”, pontua. É a segunda vez que a cantora participa do Fenac. No ano passado, ela inscreveu um samba, que chegou a se classificar para a fase eliminatória. Mas Thaylis acabou não podendo se apresentar no dia marcado, devido a outros compromissos profissionais. “Neste ano quase acontece a mesma coisa. Eu também tinha shows na agenda. Mas, quando é para ser, não tem jeito”, diz.

Thaylis destaca a presença de Cataguases em sua formação e brinca que, na cidade em que brotou o talento do cineasta Humberto Mauro, é só balançar uma árvore que cai um artista. “Foi ali que a música me abraçou de vez e meu trabalho foi se desenvolvendo. É um lugar que respira arte em todos os sentidos. Tenho me apresentando não só em Cataguases, mas na região. Também já fui para o Rio algumas vezes. Agora, com esse prêmio, espero que as coisas deslanchem mais.”

A 48ª edição do Festival Nacional da Canção (Fenac) recebeu 2.500 inscritos de 23 estados e distribuiu ao longo do festival R$220 mil em prêmios.

Confira o resultado do 48º Fenac e a letra vencedora

1º lugar: Carmim (Thaylis Carneiro – MG).
Intérprete: Thaylis Carneiro.
Prêmio: R$25 mil
2º lugar: Avançando sinais (Bezão e Nô Stopa – SP).
Intérprete: Duas Casas (SP). Prêmio: R$ 19 mil
3º lugar: Do lado de dentro (Thiago K e Kleuber Garcez – SP).
Intérprete: Isabela Moraes e Thiago K (SP). Prêmio:
R$13 mil
4º lugar: Olhar em festa (Ruan Trajano – PE).
Intérprete: Ruan Trajano (PE). Prêmio: R$8 mil
5º lugar: Frágil beleza (Raul Misturada e Dulce Quental – SP).
Intérprete: Demétrius Lulo (SP). Prêmio: R$6 mil
Melhor intérprete: Júnior Almeida (SP). Prêmio: R$8 mil
Música mais comunicativa: Clips e clichês (Nanno Viana – ES). Intérprete: Banda Cinco Nós (ES). Prêmio: R$7 mil

Carmim
De Thaylis Carneiro

Basta.
Não precisa me conhecer
Nem uma palavra pra me dizer
Pra saber que eu sou o seu vício
Basta
Entenda o seu compromisso
Sem os seus olhos azuis me dizendo
Nada me tira do seu vício
Se aprume
Sou só mais um de seus discos
Sou mais um café e um cigarro
Que você acende sabendo do risco
Sou o seu ócio do ofício
Sou como a inspiração

 

 

Fonte: Estado de Minas ||

print

Comentários