Um educador físico de Alfenas, no Sul de Minas Gerais, coleciona há 25 anos santinhos de pessoas mortas. Wagner José Gonçalves começou a coleção quando trabalhava em uma agência bancária. Segundo ele, os santinhos eram usados como desculpa para atrasar algumas tarefas no trabalho com a justificativa de que estava em algum velório.
A coleção tem 600 santinhos reunidos em um álbum. Para personalidades que já morreram, como Getúlio Vargas, Tancredo Neves, Ayrton Senna e Michael Jackson, o colecionador mandou imprimir lembranças com as fotos dos ídolos.
De acordo com o educador físico, todos os santinhos que ele ganha são bem-vindos. Em respeito as mortos, ele conta que, uma vez por mês, pede que uma missa seja celebrada para rezar pelas almas. Gonçalves afirma que conhece a vida e a causa de morte de cada uma das pessoas das quais guarda o santinho.
O colecionador acredita que a única certeza da vida é a morte. ?A única certeza que a gente tem é que gente vai para o lado de lá, então eu aconselho até quem quiser já preparar o seu, aproveitar a foto, aproveitar os dizeres. Porque uma coisa a gente pode ter certeza: um dia a gente vai para o lado de lá?, afirma o educador. Segundo Gonçalves, o santinho dele já está pronto.

print
Comentários