O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) assinou nesta quarta-feira (8) um convênio para implantação do Centro Nacional de Vacinas, que funcionará em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Governo de Minas Gerais. O convênio coloca em prática o protocolo de intenções assinado em setembro deste ano e foi assinado durante a 18ª Semana Nacional de Tecnologia, que ocorre em Brasília. 

O centro, que será instalado no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), em terreno que pertence à UFMG, será responsável pela realização de testes das vacinas contra a covid-19 produzidas com tecnologia 100% nacional e desenvolvidas por pesquisadores de universidades públicas. Uma delas é a Spin-Tec, desenvolvida por pesquisadores da própria UFMG e que deve iniciar a fase 3 de testes no ano que vem. 

De acordo com o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, o Brasil não pode ser totalmente dependente de países estrangeiros nas áreas de tecnologia e saúde. Segundo Pontes, o centro será capaz de colocar em prática os trabalhos científicos e ser a ligação entre o ambiente acadêmico e o mercado. 

“É um ponto de inflexão na história do nosso país. É o que vai transformar o Brasil em independência com relação à vacina. Nenhum país pode querer vender para a gente, mas a gente vai conseguir fazer aqui e vender para os outros, alimentar os países no nosso continente e outros continentes. A gente tem o conhecimento, mas levar esse conhecimento a se transformar em um produto, numa vacina, é um caminho longo, e o nosso ministério tem feito essa conexão”, disse. 

Centro Nacional de Vacinas

Em setembro, Pontes visitou a UFMG para assinar um protocolo de intenções para implantação do Centro Nacional de Vacinas. O laboratório será construído em um terreno de 4.400 metros quadrados e terá a UFMG como sócia-fundadora e parceira estratégica. O Centro já conta com um aporte de R$ 80 milhões, sendo R$ 50 milhões do governo federal e R$ 30 milhões do Governo de Minas. 

Fonte: Itatiaia

print
Comentários