Penas mais longas e menos benefícios judiciais para os traficantes perigosos: esse é um dos projetos do Ministério da Justiça para ajudar a combater o crime organizado no Rio. O assunto foi discutido numa reunião entre o ministro Tarso Genro e a cúpula da segurança do estado.
No Rio de Janeiro, 12% dos quase 6.500 detentos que passaram a cumprir pena em regime semiaberto fugiram, segundo dados da Vara de Execuções Penais do estado. Entre eles, criminosos que voltaram a aterrorizar a cidade, como Fabiano Atanásio da Silva. Segundo a polícia, ele comandou a invasão ao Morro dos Macacos na semana passada. Fugiu em 2002, depois de obter o regime semiaberto. Saiu da cadeia e não voltou.
Segundo o Ministério da Justiça, oito em cada dez presos beneficiados pelo regime aberto e semiaberto no país voltaram a cometer crimes. O Ministério está preparando um projeto para apresentar ao Congresso Nacional, que pretende reduzir os benefícios e aumentar as penas dos presos considerados perigosos.
Nesta terça-feira, o ministro da Justiça Tarso Genro foi ao Rio e se reuniu com o governador Sérgio Cabral e a Cúpula da Segurança para discutir como reduzir a violência no estado. Ele falou das mudanças que vai propor no regime de progressão de pena.
O ministro da Justiça disse que o ritmo de investimentos em segurança no Rio terá que ser, pelo menos, triplicado, se quisermos ter segurança para as Olimpíadas de 2016. O ministro anunciou que, este mês, vai liberar pelo menos parte dos R$ 131 milhões que o Rio já deveria receber até dezembro, para investir na área de segurança. Ele disse que estuda uma maneira de, judicialmente, conseguir autorização para mandar mais recursos no ano que vem, além do previsto para o orçamento de 2010.
O ministro disse que vai enviar ao Congresso Nacional, até o final do ano, o projeto de lei que prevê penas mais rígidas para traficantes perigosos.

Imprimir
Comentários