Considerado um dos restaurantes mais charmosos de BH, o Benvindo, localizado no tradicional bairro de Lourdes, região Centro-Sul da capital, foi palco de uma boa ação que viraliza pelas redes sociais desde a noite dessa terça-feira (4). Um homem em situação de rua foi ao bistrô para almoçar e, ao contrário do que muita gente poderia imaginar, foi atendido como qualquer outro cliente. Uma frequentadora relatou a situação por meio de um post no Facebook e o tratamento dado ao homem virou alvo de elogios entre internautas, principalmente belo-horizontinos, e de orgulho para a equipe do estabelecimento. Vem ver os detalhes!

A professora de Direito Daniela Laje Zapata foi a responsável pelo registro que tem dado o que falar na web. Ela fez uma foto que mostra o homem descalço e vestido com roupas simples sentado à mesa em que foi servido, com direto a uma garrafa de vinho. Ao portal BHAZ, a mulher contou que almoçava com amigas, nessa terça, quando tudo ocorreu.

“Estava almoçando com amigas quando ele [o homem] entrou e pediu para almoçar. Antes, estava sentado perto de uma árvore do lado de fora. Em um primeiro momento, ficamos em alerta para ter a certeza de que ele não teria nenhum direito violado, já que somos professoras de Direito”, explica. “Depois, percebemos que ele começou a ser atendido e que um garçom ofereceu uma mesa, como faz com todo mundo. Foi aí que bateu aquela sensação de alegria e felicidade”, conta.

Daniela afirma que nenhum frequentador interferiu na forma como o homem era atendido. “Não falamos nada, apenas observamos da mesa em que estávamos. Eu acredito que ele tenha se preparado para comer lá, estava tranquilo, confortável com a situação. Depois de comer, ele pagou com uma nota de R$ 50 e o garçom devolveu o troco. Vimos que o homem insistia que a conta deveria ter dado mais, mas o restaurante cobrou muito menos. Foi uma atitude muito bonita, digna de elogios”, disse.

O gerente Paulo Abreu, de 66 anos, também presenciou a cena. “Ele foi tratado com mais exclusividade do que qualquer outra pessoa. Cheguei a perguntar se a presença dele incomodava outras pessoas, infelizmente ainda é uma realidade. Se fosse o caso, eu o levaria lá para dentro para comer. A gente é humano, não podemos desprezar ninguém. Eu gostaria que esse olhar empático fosse algo natural. A gente fica satisfeito em fazer o bem”, contou o funcionário, que trabalha no bistrô há cinco anos.

Para o proprietário do Benvindo, o empresário Gustavo Viana, a forma como a equipe tratou o homem em situação de rua coroa o trabalho desenvolvido pelo estabelecimento desde que foi inaugurado. “Nada do que ocorreu foi feito pensando em repercussão. Ele queria almoçar e não podíamos negar isso, o que seria até mesmo um crime. Ele tinha dinheiro para pagar e demonstrou humildade, então aceitamos um valor simbólico. Foi até o garçom quem definiu, eu estava lá e vi que ele queria pagar de todo o jeito. Fiquei orgulhoso do pessoal, que o tratou do mesmo jeito que outros frequentadores são tratados”, afirmou em entrevista ao BHAZ.

Por estar em situação de rua, não há outras informações sobre o homem – que não foi mais visto depois de deixar o restaurante. Até agora, resta apenas a certeza de que foi bem recebido, ou “Benvindo” para fazer jus ao nome do bistrô.

 

 

Fonte: Bhaz||https://bhaz.com.br/2018/12/05/morador-rua-restaurante-lourdes-bh/

Imprimir

Comentários