Dados divulgados nesta terça-feira (12) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que 50 pessoas morreram em decorrência da dengue, entre 1º de janeiro deste ano e esta segunda-feira (11), em Minas Gerais. Segundo o balanço, em 2016, os casos prováveis chegam a 318.960 no Estado.

Belo Horizonte é a cidade com maior número de óbitos – 12. Na sequência, está a cidade de Juiz de Fora, onde nove pessoas morreram.

As outras mortes foram registradas em Divinópolis (3), Além Paraíba (2), Contagem (2), Itaúna (2), Monte Carmelo (2), Pará de Minas (2), Abaeté (1), Araçuaí (1), Araxá (1), Bicas (1), Cláudio (1), Espera Feliz (1), Estrela Dalva (1), Ibirité (1), Mutum (1), Patrocínio (1), Pompéu (1), Raposos (1), Recreio (1), Santo Antônio do Aventureiro (1), Santo Antônio do Monte (1) e São João Nepomuceno (1).

De acordo com a secretaria, 158 óbitos suspeitos de dengue ainda são investigados.

Chikungunya
A SES também informou que 18 casos de casos de chikungunya foram confirmados até esta segunda-feira.

Desse total de pacientes, conforme a secretaria, oito contraíram a doença em outros estados – possivelmente na Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco. Dos outros dez casos, nove têm como local de infecção provável a cidade de Santa Luzia, e um, Contagem.

 

Zika
Em relação ao vírus da zika, a SES contabilizou 1.592 casos de pacientes infectados pela doença até esta segunda. Também foram confirmados 168 casos de gestantes com doença aguda pelo vírus até o sábado (9).

A SES também divulgou que houve 80 notificações no protocolo de monitoramento da microcefalia em Minas. Um caso confirmado se refere a um aborto espontâneo, com associação com infecção pelo vírus da zika no município de Sete Lagoas. A outra confirmação se refere a um caso com exames de imagem sugestivos de infecção congênita de residente no município de Montes Claros, porém sem associação com a doença.

 

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários