O número de mortes causadas por doenças ligadas ao uso do cigarro eletrônico chegou a 52 nos Estados Unidos. De acordo com o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) do país, até terça-feira (10) foram registradas mortes em 26 estados. No país inteiro já são 2.409 casos de hospitalização por essas mesmas doenças.

A maioria dos pacientes disse ter fumado produtos de cigarro eletrônico (vaping) que contêm o princípio ativo THC. Trata-se do ingrediente que produz os efeitos mais nocivos da maconha. Autoridades do governo dos Estados Unidos estão investigando mais intensamente o comércio ilegal desta substância.

No mês passado, autoridades norte-americanas disseram ter encontrado um culpado para o surto – um componente químico chamado acetato de vitamina E, que foi identificado nos pulmões de pacientes doentes e nos produtos que fumaram.
Trata-se de um agente químico que serve para engrossar a mistura inalada junto com os líquidos que contêm o THC.

Surto do cigarro eletrônico

Os casos de hospitalização ocorreram principalmente na região Meio-Oeste dos Estados Unidos, em Illinois, Indiana e Wisconsin – conforme informações da agência Associated Press. A idade média das pessoas mortas é de 52 anos.

No entanto, a maioria das pessoas que sofrem com problemas no pulmão é de pacientes mais jovens, sendo metade deles adolescentes ou pessoas com pouco mais de 20 anos.

O início do surto de doenças ligadas ao consumo do cigarro eletrônico parece ter começado em março deste ano. A maioria dos casos ocorreu em agosto e setembro, mas novos casos continuam sendo registrados. Na semana passada, 118 casos foram registrados, de acordo com os CDC.

Alguns dos novos casos registrados ocorreu há mais de um mês mas só foram registrados recentemente. Porém, 43% dos casos da última leva foram de pessoas hospitalizadas a partir de 17 de novembro.

 

Fonte: G1 ||
Imprimir
Comentários