Motor elétrico de alto torque começará a ser testado em carros
A indústria automobilística não é o único objetivo dos engenheiros. Mais de 50% da eletricidade gasta no mundo todo é consumida em motores elétricos dos mais diversos tipos.

Motor elétrico de alto torque

Engenheiros da Universidade de Oxford, no Reino Unido, desenvolveram um novo motor elétrico de alto torque que está atraindo a atenção dos fabricantes de automóveis, envolvidos com o lançamento de modelos elétricos e híbrido-elétricos.

O motor alcança um torque elevado para o seu peso, o que, em última instância, significa um motor menor e mais barato. O torque é a força de giro que acelera o carro, e o pico do torque do nosso motor é de 500 Nm para um motor que pesa 25 kg, diz o Dr. Malcolm McCulloch, que chefiou o grupo que desenvolveu o novo motor elétrico.

O motor elétrico de alto torque não surgiu do nada. Ele é fruto de um projeto de pesquisa que já dura 4 anos. A atual versão tem a metade do volume e o dobro do torque do primeiro protótipo.

Futuro dos automóveis

A inovação chamou a atenção da indústria e uma empresa do setor planeja fazer os primeiros testes com o novo motor em um carro de passeio ainda em 2009.

Nós acreditamos que os motores são a única saída para os automóveis. Todos os veículos serão movidos por motores elétricos, independentemente da forma como a energia é armazenada para acioná-lo, disse Nick Carpenter, da Delta Motorsport, uma empresa que trabalha para equipes de Fórmula 1 e que fará os primeiros testes de campo com o motor.

Uso industrial

A indústria automobilística não é o único objetivo dos engenheiros. Mais de 50% da eletricidade gasta no mundo todo é consumida em motores elétricos dos mais diversos tipos, o que dá uma dimensão dos ganhos possíveis com o aumento da eficiência desses equipamentos.

O escritório de inovações da Universidade de Oxford está financiando o andamento dos projetos e uma empresa de tecnologia já foi aberta para comercializar o novo motor elétrico de alto torque, inclusive para aplicações industriais.

print
Comentários