A embriaguez ao volante fez mais vítimas nesta semana em Minas. Dois adolescentes morreram e outras três pessoas ficaram feridas em um acidente ocorrido no final da noite de domingo em Lagoa da Prata. Todas as vítimas eram passageiros de um Monza, conduzido pelo vendedor Márcio Antônio Ferreira Júnior, 20. De acordo com a Polícia Civil, Ferreira Júnior, que sofreu apenas escoriações leves, é inabilitado e dirigia bêbado.
O motorista foi preso logo após o acidente. Exames comprovaram a embriaguez do jovem que, segundo o delegado Lindon Neves, será indiciado por homicídio com dolo eventual, ou seja, quando a pessoa não tem a intenção de matar, mas sabe que sua atitude pode terminar em morte.
O acidente ocorreu por volta das 23h de domingo, na orla da lagoa da Prainha, bairro Coronel Luciano. De acordo com o delegado, Ferreira Júnior e as cinco vítimas haviam acabado de sair de um bar. Conforme testemunhas, o jovem estava trafegando a 70 km/hora em uma via em que a velocidade permitida é de 40 km/hora, relata. O carro de Ferreira Júnior, que estava com uma roda empenada e outros três pneus carecas, derrapou e bateu em um coqueiro.
Dois passageiros – uma adolescente de 15 anos e um menor de 17 – não resistiram aos ferimentos. A menor morreu no local e o adolescente, logo após ser socorrido. Outros três passageiros foram levados para o Hospital São Carlos, em Lagoa da Prata. Eles tiveram ferimentos leves. O carro ficou completamente destruído.
Irresponsabilidade
O delegado Neves informou que os exames de bafômetro feitos em Ferreira Júnior e nas três vítimas, que ficaram feridas no acidente, apontaram que todos estavam embriagados. Ainda conforme o policial, o jovem estava tão alcoolizado que não falava coisa com coisa durante o depoimento e nem conseguia fazer um simples teste – que policiais costumam utilizar para verificar o equilíbrio de uma pessoa.
O condutor estava tão bêbado, que não conseguia fazer um quatro com as pernas, explicou Neves. A única coisa que disse é que começou a dirigir há dois meses. De acordo com o delegado, além de dirigir bêbado e ser inabilitado, Ferreira Júnior também cometeu outras duas graves infrações. Ele colocou seis pessoas em um veículo que cabe cinco e ninguém usava cinto de segurança, informou.
Neves explicou ainda que foram realizados exames que podem apontar a presença de álcool no sangue do condutor. As análises devem ficar prontas nos próximos dias. De acordo com delegado, existem várias provas para indiciar o vendedor por homicídio com dolo eventual. Até ontem, Ferreira Júnior permanecia detido na cadeia pública de Lagoa da Prata.

Imprimir
Comentários