Os motoristas de ônibus fretados participaram de um buzinaço nesta quarta-feira (15), em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) contra o Projeto de Lei 1.155/2015, do deputado Alencar da Silveira (PDT) aprovado na casa no último dia 31 de agosto, em segundo turno, que dificulta o serviço de ônibus fretados em Minas Gerais, como o da empresa Buser. 

O protesto é acompanhado pela BHTrans e pela Polícia Militar. Mais cedo, o movimento com cerca de 300 ônibus se concentrou na em uma das faixas da MG-010, em frente a Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas. Os fretadores pedem que o governador Romeu Zema (Novo), vete o projeto aprovado na ALMG. O prazo para que Zema tome uma decisão sobre o texto vai até o dia 24 de setembro.

Por volta de 11h, os ônibus se deslocaram pelas ruas de Belo Horizonte até a ALMG, onde os veículos, sem parar no local, passam em frente à casa Legislativa buzinando. Todos trazem na lateral dos veículos uma faixa com dizeres como: “Veta Zema, deixa o fretador trabalhar” e “Veta Zema, o turismo pede socorro”. 

O fretador Peter Mangabeira, que participa do protesto, afirma que a aprovação projeto é prejudicial para o turismo no Estado. 

“É uma proposta que não dá para ser concebida no século 21, que diz que você precisa tirar uma licença com 12 horas de antecedência. Hoje, em questão de segundos, você consegue fazer uma lista. Outra questão é o circuito fechado, onde só podem voltar no ônibus as pessoas que estavam na lista de ida de passageiros. Não dá”, disse o fretador. 

A proposta foi aprovada na ALMG sob a justificativa de garantir a segurança dos passageiros. Os fretadores afirmam que trabalham dentro de todas as normas estabelecidas. 

Rota

A BHTrans informou que após saírem da Cidade Administrativa, os veículos se dirigiram para a avenida Antônio Carlos, passaram pelo Viaduto Oeste, entraram na avenida do Contorno acessando em seguida a avenida Barbacena e acessando a praça da Assembleia. Houve registro de lentidão nessas vias e ruas adjacentes. Vans e micro-ônibus também participaram do ato. 

Por meio de nota, o governo de Minas informou apenas “que a proposição enviada pela Assembleia Legislativa está em análise” e que “o governador tem até o dia 24/9 para se manifestar sobre o texto”.

Fonte: O Tempo

print
Comentários