Dois mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão são cumpridos em nova fase da operação Black Monday, desencadeada pelo Ministério Público de Minas Gerais, que investiga golpe aplicado por falsas corretoras financeiras em investidores. Todas as ações são cumpridas em Florianópolis, capital de Santa Catarina, na manhã desta terça-feira (22).

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em dois escritórios que, de acordo com as investigações, atuavam na captação de vítimas das falsas corretoras Kiplar e Vlom por intermédio dos sites Lucro Inteligente e Central do Lucro.

A investigação aponta que pessoas interessadas em investir no mercado financeiro acessavam os sites Aprenda Investindo e Investing Brasil e eram direcionadas para falsos analistas, que diziam atuar em nome das corretoras VLOM e LBLV, ambas sem autorização para operar no Brasil. Mas, segundo o MP, em vez de o dinheiro ser devidamente investido, era desviado e aplicado em bitcoins.

Os criminosos, segundo o MP, atuavam em toda a América Latina e também na Europa. Em março deste ano, na primeira fase da operação, foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão e seis de prisão preventiva. Naquela ocasião, a atuação ocorreu em 12 Estados, e também foram localizados veículos de luxo, joias, imóveis, dinheiro e bitcoins, em quantia estimada de R$ 15 milhões.

A fraude pode ter causado mais de R$ 100 milhões de prejuízos em desfavor de pelo menos 1.500 pessoas.

Fonte: O Tempo

Imprimir
Comentários