O Ministério Público Federal em Brasília abriu nesta quinta-feira (22) processo para investigar se o sigilo do Enade foi quebrado.
Na terça-feira (20), a Polícia Rodoviária Federal encontrou provas numa caminhonete da empresa responsável pelo exame. Segundo os policiais, as quatro caixas com os testes estavam sem lacre.
A consulplan, empresa contratada para realizar o Enade, disse que o sigilo da prova está garantido. As provas estão marcadas para o dia oito de novembro.
Mais de um milhão de estudantes estão inscritos no Enade. As notas são usadas na avaliação de cursos superiores que podem até ser fechados, dependendo do resultado.
Segundo os agentes que realizavam uma fiscalização de rotina na BR-040, em Três Rios, no Sul Fluminense, quatro caixas que continham os cadernos de prova não estavam lacradas. A caminhonete que transportava o material é da empresa responsável pelo exame. Em nota, ela afirmou que o transporte estava sendo feito de forma segura por dois funcionários de confiança, e que um deles, fiel depositário, viajava no carro para proteger o material. O exame vai avaliar 15 áreas de graduação e sete cursos tecnológicos.
Para o Ministério da Educação, as explicações da empresa foram suficientes. O edital de licitação diz que cabe à empresa manter o sigilo das informações e dos documentos do Enade, assim como realizar o transporte do material.

print
Comentários