O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) realiza na manhã desta terça-feira (5) uma operação para apurar possíveis fraudes em processos licitatórios do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Divinópolis (Diviprev).

A previsão é que sejam cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em Divinópolis, Belo Horizonte, Nova Lima e Santa Luzia, e uma ordem judicial de afastamento da atual presidente do instituto.

Além do crime de fraude a licitações, há indícios de que os envolvidos tenham praticado crimes de peculato e falsidade ideológica, segundo o MPMG. Uma das irregularidades teria sido identificada na contratação de empresas responsáveis por realizar serviços de assessoria jurídica ao Diviprev.

A ação conta com a participação de dois promotores de Justiça, dois servidores do MPMG, dez delegados e 40 investigadores e escrivães da Polícia Civil. Da sede foram levados documentos e computadores.

O MPMG informou que atua por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Divinópolis, do Grupo Especial dos Promotores de Justiça do Patrimônio Público (Gepp) e do Grupo de Apoio Operacional Policial (GOP), ligado ao Núcleo Especial de Combate à Corrupção (NECC).

 

 

Fonte: G1 ||

print

Comentários