Redação Últimas Notícias 

Uma mulher invadiu a sede do YouTube na Califórnia, nos EUA e atirou contra três pessoas, na tarde dessa terça-feira (3).

Nasim Najafi Aghdam, de 39 anos se suicidou após o ataque. Uma das vítimas, um homem de 36 anos, está em estado grave. Uma quarta pessoa machucou o tornozelo ao tentar fugir do prédio.

Cerca de 1.700 funcionários trabalhavam no prédio no momento do ataque. De acordo com a polícia local Nasim era iraniana e possuía quatro canais no YouTube em que se declarava vegana e ativista dos direitos animais.

Nasim foi encontrada morta após o ataque (Foto: Divulgação)

Nos últimos tempos, ela postou diversos vídeos em que se mostrava irritada com a política do YouTube, dizendo que a plataforma filtrava seus vídeos para ela não ganhar mais visualizações. Ela também se mostrou insatisfeita com as alterações na monetização dos canais.

Segundo as autoridades Nasim teria ido a um estande de tiros nessa terça-feira antes de ir para o escritório do YouTube, por onde entrou por uma garagem. Os investigadores não acreditam que ela tivesse alguém em particular como alvo.

Um dos canais de Aghdam aparentemente foi removido do YouTube por violar os termos de uso do serviço.

A emissora americana CBS2 News conversou com o pai de Agdham. Ele diz que a youtuber estava desaparecida há dias quando ele recebeu uma ligação da polícia avisando que ela tinha sido vista em Mountain View. O pai da atiradora disse ter avisado a polícia sobre a fúria dela contra o YouTube.

Depois de que a situação já estava sob controle, o CEO do Google Sundar Pichei divulgou um comunicado aos funcionários da empresa em que lamenta o “horrível ato de violência” e agradece a equipe de segurança e os serviços der emergência por “atuarem muito rapidamente”. Pichei também diz que a empresa está trabalhando com as autoridades locais e os hospitais para dar apoio às vítimas e às suas famílias.

IMPRIMIR

Fonte:

Com portais de notícias