Uma mulher de 32 anos foi presa enquanto fazia um teste para concorrer a uma vaga de vendedora em uma loja de roupas, no Centro de Belo Horizonte, horas depois de furtar dois vestidos no mesmo local.

Tudo começou quando a mulher foi à loja, na Avenida Amazonas, na manhã de quarta-feira (24), dizendo que queria trocar uma peça de roupa.

A supervisora de vendas do estabelecimento, Amanda Mikaelly, autorizou a troca e deixou a cliente à vontade para checar os produtos. Quando ela foi ao estoque para buscar uma roupa para outra freguesa, a suspeita entrou no provador, levando os vestidos, e guardou os dois na bolsa, sem que ninguém visse.

Depois que a supervisora voltou do estoque, a mulher ainda experimentou algumas roupas antes de ir embora.

Amanda só foi descobrir o furto cerca de 40 minutos mais tarde, quando aproveitou que a loja estava mais vazia para fazer uma conferência. Ela percebeu que estavam faltando dois vestidos, os mais caros da loja e peças únicas. Um deles custava R$ 179,99, e o outro, R$ 149,99.

Na mesma hora, a supervisora informou o furto ao proprietário da loja, que passou a verificar as imagens das câmeras de segurança para tentar identificar o suspeito.

O que Amanda não sabia era que a mulher que cometeu o crime tinha enviado o currículo para a loja dias antes, para disputar uma vaga de trabalho.

“Ela tinha entregado o currículo a uma loja da marca no Barreiro. Pedi às supervisoras de outras unidades que me enviassem os currículos recebidos e gostei muito do dela. A equipe marcou uma entrevista e, às 17h40, ela voltou, com outra roupa. Não reconheci que era a mesma pessoa que tinha visitado a loja mais cedo”, conta a supervisora.

A suspeita fez a entrevista e já estava na segunda fase do processo seletivo, fazendo um teste de atendimento a clientes, quando os policiais chegaram à loja.

O proprietário do estabelecimento viu pelas câmeras de segurança quando ela voltou e, imediatamente, a reconheceu como a pessoa que tinha furtado os vestidos mais cedo.

“Quando a polícia chegou e disse o que estava acontecendo, eu nem acreditei. Eu estou decepcionada, porque ia contratar uma pessoa que me passou para trás. Eu tinha gostado tanto dela, do currículo e do atendimento, que já ia marcar o exame admissional para hoje (quinta-feira)”, diz Amanda.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), a mulher confessou o crime. Ela disse que as roupas estavam na casa dela em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, mas que não possuía a chave da residência.

A mãe da suspeita foi acionada e se dispôs a devolver os vestidos furtados.

A Polícia Civil disse que “a autoridade policial ratificou a prisão em flagrante pelo crime de furto”.

A suspeita foi ouvida e liberada após pagamento de fiança arbitrada em R$ 734.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários