A campanha “Não engula o choro”, com o objetivo de combater a violência contra crianças e adolescentes, inclusive o abuso sexual foi lançada agora em maio pela Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social do Paraná, mas a proposta pode ser aplicada no país inteiro.

Duas animações, que já estão sendo projetadas antes de todas as sessões nos cinemas do estado e também circulam em grupos WhatsApp, mostram a importância do choro, como principal forma de as crianças comunicarem que algo está errado, e o papel dos adultos ao validar seus sentimentos e acolhê-las.

Fernanda Richa, secretária estadual da Família, destaca que o silêncio é um dos principais dificultadores no combate à violência contra a criança e o costume de pedir para as elas “engolirem o choro” só agrava essa situação. “É imprescindível sensibilizar família, professores e todos os agentes da rede de proteção. Somente dessa forma tornaremos visíveis essas situações que comprometem o desenvolvimento de meninos e meninas. Esses filmes mostram para a criança que ela pode contar com uma pessoa de confiança para ajudá-la, em caso de violência ou em que algo está errado”, afirma.

A campanha tem a parceria das secretarias estaduais da Saúde, da Educação e da Segurança Pública, que registra e encaminha denúncias de violações de direitos, pelo telefone 181, no Paraná. Dados desse disque-denúncia informam que, de 2016 para 2017, o número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes aumentou 37,6%. Dos 1166 casos registrados, 31,52% está relacionado ao abuso sexual e 30,41% à violência física.

https://www.youtube.com/watch?v=fS2p_NXgnZQ

IMPRIMIR