O Ministério Público do Estado de Minas Gerais entrou com uma Ação Civil Pública contra o prefeito da cidade de Piumhi, Wilson Marega Craide (Craidinho), e alguns funcionários públicos do município. O MP alega que a atual administração estaria cometendo a prática ilegal de nepotismo.
Segundo o processo, foi instaurado um inquérito civil e na investigação ficou constatada a prática de nepotismo no município, durante o ano de 2013. Diante disso, o juiz da comarca de Piumhi, Dr. Rogério Mendes Torres, acolheu a ação e concedeu liminarmente a suspensão de 12 pessoas das funções ocupadas no município, o juiz determinou: ?(…) Defiro o pedido de expedição do mandado liminar – para suspender, imediatamente, os atos administrativos de nomeação e, em consequência, determinar a exoneração imediata de Maria do Socorro Craide, Helder Antônio de Oliveira, Martilene Lara de Oliveira Almada, Boaventura Freire da Costa, Janaína Patrícia Quintino Costa, Antônio Rafael de Oliveira, Jaqueline Aparecida Ferreira, Edilon Vieira, Everton Vieira, Roberto Araújo, Kelma Costa Hostalácio e Thiago da Costa Araújo.?
De acordo com o documento de concessão da liminar, Maria do Socorro Craide, que é esposa do prefeito Wilson Marega Craide, foi nomeada para o cargo de secretária Municipal de Políticas Públicas e Sociais; Martilene Lara de Oliveira Almada, esposa de Helder Antônio de Oliveira, secretário Municipal de Saúde, foi contratada para o cargo de odontóloga pediatra; Janaína Patrícia Quintino Costa, filha de Boaventura Freire da Costa, que exerce o cargo em comissão no Departamento Municipal de Contabilidade, foi contratada para o cargo de agente administrativo Geral; Jaqueline Aparecida Ferreira, filha de Antônio Rafael de Oliveira, que exerce o cargo em comissão na função de Diretor de Divisão de Manutenção de Veículos, foi contratada para o cargo de auxiliar administrativo geral; Everton Vieira filho de Edilon Vieira, exercente do cargo comissionado de diretor do Departamento Municipal de Urbanismo e Habitação, foi nomeado para exercer o cargo comissionado de diretor de Divisão de Limpeza Pública; Kelma Costa Hostalácio Araújo, esposa de Roberto Araújo, exercente de cargo comissionado de procurador do Município, foi contratada para o cargo de assistente social e, Thiago da Costa Araújo, filho de Roberto Araújo, no exercício de cargo comissionado de procurador do Município, foi contratado para o cargo de Auxiliar Administrativo.
O juiz de direito Dr. Rogério Mendes Torres ainda determinou que em 48 horas, a determinação judicial deverá ser cumprida, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil por parte da pessoa física do réu Wilson Marega Craide em favor do Fundo Especial do Ministério Público de Minas Gerais ? FUNEMP, e que os réus fossem notificados para que, querendo apresentarem defesa no prazo de 15 dias.

Imprimir
Comentários