O Cruzeiro tem menos de 50% de aproveitamento na Série B do Campeonato Brasileiro e terá que melhorar bastante o seu rendimento caso queira atingir o seu objetivo maior em 2020, que é retornar à Primeira Divisão na próxima temporada. A derrota por 3 a 1 para o CSA, na noite deste sábado (20), manteve o time celeste na parte de baixo da classificação e distante do pelotão de frente.

O técnico Ney Franco, em entrevista coletiva no estádio Rei Pelé, evitou colocar na conta de jogadores específicos o resultado negativo em Alagoas. O treinador admitiu falhas cometidas diante do CSA, adversário que foi elogiado pelo comandante da Raposa.

“A derrota a gente não coloca em conta de ninguém. O adversário foi merecedor do resultado pela competência que teve, principalmente nos dois primeiros gols de bola parada. No momento em que Nossa equipe passava mensagem que estava jogando em cima do adversário, mas sem criar muitas oportunidades de gols. Merecimento do resultado do adversário foi que eles conseguiram bloquear muito bem o nosso ataque, foi um jogo, embora a gente tenha criado oito finalizações, mas a gente esperava mais ofensivamente da nossa equipe hoje, e a gente não conseguiu”, explicou.

Para Ney Franco, os dois primeiros gols de bolada parada sofridos pelo Cruzeiro foram cruciais para o resultado da partida. 

“Engraçado e interessante, que a gente abordou na palestra que a nossa equipe estava bem postada na bola parada defensivamente. Tanto em escanteios e bolas laterais não tínhamos tomado nenhum gol na competição ainda. A gente manteve a forma da equipe jogar. Ali entrou um pouquinho de competência do adversário, mas, principalmente, bo primeiro gol, nessa puxada do atacante na frente para raspar, é o básico no futebol que tem que se fazer essa marcação. Infelizmente esses dois gols de bola parada mudaram muito a situação do jogo”, disse.

Agora o time celeste tem uma sequência de duas partidas dentro de casa, contra Avaí e Ponte Preta. E para essas partidas o treinador dará atenção especial nos treinamentos aos erros e falhas apresentados por sua equipe. “Nos cabe agora pegar algo de positivo dessa partida para reforçar e mostra que temos que fazer ajustes em detalhes de bola parada, para que no próximo jogo a gente aperfeiçoe isso. Hoje a gente sabe que quando o jogo está equilibrado esse detalhe da bola parada define”, analisou.

Meta de pontos

Como só voltará a jogar na próxima sexta-feira (25), às 21h30, contra o Avaí, no Mineirão, o Cruzeiro terá quatro dias inteiros para acertar os pontos na Toca II na próxima semana. 

“Nos cabe remoer essa derrota, temos uma semana para trabalhar para o jogo contra o Avaí. Temos uma sequência de dois jogos contra Avaí e Ponte Preta, e montar equipe em condição de valer o mando de campo nosso dentro de casa, e depois trabalhar o terceiro jogo contra o Cuiabá, que a gente vai ter que jogar mais do que jogamos hoje, principalmente fora de casa”, comentou, falando sobre a missão da equipe nas próximas rodadas.

“Temos que trabalhar uma meta curta, que é montar uma equipe forte para os dois próximos jogos dentro de casa, fazer valer o mando de campo, fazer seis pontos, ir a 11 pontos, depois a 14 pontos e tentar encostar no grupo que está lá na frente distanciando. A gente tem que fazer nossa arrancada, fazer sequência de cinco, seis jogos consecutivos conquistando pontos”.

Matéria do Hoje em Dia

Imprimir
Comentários