A nova supervisora do Aeroporto Brigadeiro Cabral, Celina de Lima Correa Campos, chegou à Divinópolis para assumir o cargo na sexta-feira (19). Ela foi recebida pelo prefeito Galileu Machado, pelo assessor especial de Gabinete, José Alonso Dias, e pela secretária de Meio Ambiente e Mobilidade Urbana, Flávia D’Alessandro.

De acordo com a Prefeitura, Celina atuou nos aeroportos de Brasília e Confins e é servidora de carreira da Infraero, nova administradora do aeroporto.

O prefeito Galileu Machado afirmou que a nomeação de Celina como supervisora do local é uma comprovação de que a “Infraero quer tornar o local uma referência”.

Aeroporto

Segundo o portal G1, o aeroporto está com os voos comerciais suspensos desde março de 2018, quando a Socicam, empresa que administrava o local, deixou a gerência da área devido a uma dívida de R$ 2.664.000, referente a 18 meses de repasses que ficaram pendentes da administração anterior.

Na ocasião, a Prefeitura informou que pretendia reajustar o aluguel de hangares do aeroporto para levantar recursos e assim manter os voos comerciais em atividade. Três dias depois, a Azul Linhas Aéreas anunciou que suspenderia os voos comerciais no aeroporto da cidade devido à dívida do município com a Socicam.

Depois do ocorrido, o aeroporto passou por fiscalização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que orientou ao município readequar alguns dos equipamentos do terminal. Dentre as adequações, foi pedida a construção da estação meteorológica, que teve as obras iniciadas no dia 5 de junho.

Convênio

O convênio entre a Infraero e a Prefeitura de Divinópolis foi anunciado pelo então secretário, José Alonso, em março deste ano. De acordo José, o convênio foi firmado em R$ 79 mil por mês. Contudo, ele afirma que este montante não sairá dos cofres municipais.

“O dinheiro do repasse que será feito para a Infraero será arrecadado com o valor do aluguel dos hangares aqui do aeroporto. Reajustamos os valores dos hangares, porque precisávamos desse recurso e se fosse para retirar da folha da Prefeitura, nós não teríamos como, a folha não paga essa despesa”, informou José Alonso na ocasião.

A intenção de reajustar os aluguéis dos hangares havia sido anunciada no ano passado. Porém, os valores só sofrerem uma alteração em março deste ano.

Na ocasião, a Prefeitura publicou um novo reajuste dos valores no Diário Oficial dos Municípios. O decreto nº 13.294/2019 altera o decreto publicado em março, que previa que os utilitários pagassem 6,04% da Unidade Padrão Fiscal do Município de Divinópolis (UPFMD), calculada em R$ 74,51 em 2019, por m² utilizado – ou seja, o aluguel do m² no aeroporto custaria cerca de R$ 4,50.

Com o novo decreto, o permissionário que utilizar o espaço público do aeroporto deverá pagar à Prefeitura, por mês, o valor de R$ 10,57 por m² utilizado.

 

Imprimir

Fonte:

G1