A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nesta terça-feira (5) um novo relatório sobre a expansão do vírus A (H1N1). Até as 6h GMT (3h de Brasília), eram 1.124 casos confirmados em 21 países e 26 mortes, sendo 25 no México -país em que se originou a epidemia- e uma nos Estados Unidos. O último balanço, de 12 horas antes, indicava 1.085 casos.
Segundo a OMS, o México, com 590 casos, EUA, com 286, e Canadá, com 140, são os países com mais pessoas afetadas pelo vírus. O índice na Espanha também surpreende, com 54 infectados.
Os demais países com casos são: Áustria (1), China (1), Hong Kong (1), Costa Rica (1), Colômbia (1), Dinamarca (1), El Salvador (2), França (4), Alemanha (8), Irlanda (1), Israel (4), Itália (2), Holanda (1), Nova Zelândia (6), Coreia do Sul (1), Portugal (1), Suíça (1) e Reino Unido (18, sendo 2 na Escócia e 16 na Inglaterra).

Casos suspeitos
De acordo com boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta tarde, 25 pessoas com suspeita de ter contraído a Influenza A são monitoradas no Brasil. No entanto, não há nenhum caso confirmado da doença no país.
Outros 36 casos estão sendo monitorados pelo ministério em 19 estados. O órgão informou ainda que 60 casos que estavam sendo monitorados foram descartados ? 26 deles em São Paulo. Até domingo (3), o Brasil tinha apenas 15 suspeitos. Até o momento, nenhum caso da Influenza A foi confirmado no país.
O secretário de Vigilância em Saúde destacou também que todos os pacientes considerados suspeitos de terem a doença no Brasil estão ?clinicamente bem? -ou seja, nenhum deles está em estado grave.
Ele acrescentou que, na quinta-feira (7), haverá uma reunião entre a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e sindicato das companhias aéreas para intensificar o controle da entrada de passageiros vindos de outros países.
Penna afirmou que, na reunião, os procedimentos que devem ser tomados após a entrada da aeronave no espaço aéreo brasileiro serão reiterados para as companhias internacionais.

Imprimir
Comentários