A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo confirmou na tarde desta terça-feira (21) cinco mortes causadas pela Influenza A (H1N1), conhecida como gripe suína. Dos casos registrados, quatro são da capital paulista e um da região de Campinas. Com isso, o estado registra oito mortes causadas pela doença. O total no país subiu para 20.
Uma das vítimas é uma mulher de 68 anos, moradora da capital, que apresentava fatores de risco como cardiopatia, hipertensão arterial, diabetes e asma brônquica. Ela faleceu no último dia 12, mas os exames que atestaram a contaminação foram divulgados nesta terça.
Uma mulher gestante, de 27 anos, também moradora da capital, morreu no último dia 14 após apresentar febre, tosse e dor torácica. Ela procurou atendimento médico no dia 9 de julho em trabalho de parto. Cinco dias depois passou a apresentar falta de ar e não resistiu. Segundo a secretaria, o bebê passa bem.
Outra vítima da capital é uma mulher, de 44 anos, que começou a apresentar os sintomas da gripe no último dia 11. Ela foi internada no dia 17 com insuficiência respiratória aguda, diarréia intensa e cianose nas extremidades. Faleceu no dia seguinte.
O último caso da capital paulista é de um paciente do sexo masculino, de 50 anos, que faleceu no último dia 20 após ficar internado por sete dias. Já a paciente da região de Campinas, uma mulher de 26 anos, começou a apresentar os sintomas no dia 7 deste mês. Foi internada no dia 16 com amigdalite, bronquite e sinusite, que evoluiu para pneumonia. Ela morreu no último dia 17.
Os outros três casos do estado de São Paulo são de uma menina de 11 anos, moradora de Osasco, que morreu no dia 30 de junho; de um rapaz de 21 anos, da mesma cidade, que faleceu no dia 11 deste mês; e de um homem de 28 anos, de Botucatu, que morreu no último dia 10. Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na última quarta-feira, o Brasil tem 1.175 casos confirmados de gripe desde o dia 8 de maio.

Rio Grande do Sul
No Rio Grande do Sul, o número de mortes subiu para 11. Duas foram em Uruguaiana: uma menina de 5 anos, dia 15 de julho, e uma mulher de 36, grávida de oito meses, dia 16. Também morreram um serralheiro de 40 anos, dia 17, em Santa Maria, e um caminhoneiro de 29, em São Borja, no dia 6. Ambos eram obesos. Estima-se que até três mil pessoas já possam estar infectadas naquele Estado.
O município de Uruguaiana, no interior do Rio Grande do Sul, decretou situação de emergência por causa da nova gripe. A medida foi tomada depois das mortes de três pessoas, entre elas, a menina de cinco anos e mulher grávida de oito meses. O bebê foi salvo pelos médicos e não apresenta os sintomas da doença. O maior motivo de preocupação na cidade e em toda a região é a proximidade com a fronteira com a Argentina e Uruguai.

Imprimir
Comentários