Número de notas zero em redação do Enem acende alerta

Os dados parciais foram divulgados na terça-feira (13). Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos).

Os dados parciais foram divulgados na terça-feira (13). Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos).

A explosão de notas zero na prova de redação do Enem ? em 2013 foram 106,7 mil candidatos, e no ano passado, 529,4 mil ? lança um alerta para a necessidade de mudanças no aprendizado dos estudantes. Especialistas em educação são unânimes em apontar que o baixo desempenho comprova a incapacidade dos alunos em ler, interpretar e escrever textos.

Os dados parciais do exame nacional foram divulgados na terça-feira (13) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Além da nota zero, o rendimento médio na dissertação foi quase 10% pior na comparação com o ano anterior. Em 2014, o tema da redação foi a publicidade infantil.

?O assunto cobrado na prova não pode ser associado ao mau desempenho. Ao contrário, ele influencia na análise das melhores notas?, aponta o pesquisador e autor de diversos livros e monografias, Cláudio de Moura Castro. ?O diagnóstico para quem zerou o teste é simples: a pessoa não tem lido o suficiente. E a terapia para solucionar esse problema também não é complicada, basta ler e escrever mais?, acrescenta Castro, apontado como um dos mais renomados especialistas em educação do país.

Mesma opinião tem o mestre em educação e professor do curso de pedagogia da Fumec, Aroldo Dias Lacerda. ?Escrever sobre qualquer tema e apresentar uma proposta envolvem interpretação de texto. Só se consegue interpretar a partir da prática da leitura constante, que vai além do material didático?.

Para Dias Lacerda, os ensinos Infantil e Fundamental têm apresentado avanços no Brasil, mas o Médio carece de melhorias. A solução, diz, passa por valorização dos profissionais e mudanças na rede curricular. ?É preciso aproximar a escola da vida real do estudante. Isso ainda está muito desconectado?.

Poucos

Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos) na redação do Enem. Neste seleto grupo está o estudante de Juiz de Fora, Luis Arthur Haddad, de 19 anos. Aluno do colégio Santa Catarina, que integra a lista das melhores instituições de Minas, conforme as últimas avaliações, ele conta que estudava as disciplinas cobradas mais de dez horas por dia.

A preparação para a redação também não foi fácil. Luis se matriculou em um curso específico de produção de textos e redigia pelo menos dois todos os sábados. Amante da literatura, ele ainda arrumava tempo para obras consagradas. Atualmente, lê o Código da Vinci, de Dan Brown.

?Estava confiante que poderia me sair bem, mas ter fechado a prova foi uma surpresa muito agradável?, conta. Sonhando com uma vaga no concorrido curso de engenharia elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), ele disse que vai aproveitar o restante do mês para descansar e curtir a família, os amigos e a namorada.

Imprimir
Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Número de notas zero em redação do Enem acende alerta

Os dados parciais foram divulgados na terça-feira (13). Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos).

Os dados parciais foram divulgados na terça-feira (13). Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos).

 

A explosão de notas zero na prova de redação do Enem – em 2013 foram 106,7 mil candidatos, e no ano passado, 529,4 mil – lança um alerta para a necessidade de mudanças no aprendizado dos estudantes. Especialistas em educação são unânimes em apontar que o baixo desempenho comprova a incapacidade dos alunos em ler, interpretar e escrever textos.

Os dados parciais do exame nacional foram divulgados na terça-feira (13) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Além da nota zero, o rendimento médio na dissertação foi quase 10% pior na comparação com o ano anterior. Em 2014, o tema da redação foi a publicidade infantil.

“O assunto cobrado na prova não pode ser associado ao mau desempenho. Ao contrário, ele influencia na análise das melhores notas”, aponta o pesquisador e autor de diversos livros e monografias, Cláudio de Moura Castro. “O diagnóstico para quem zerou o teste é simples: a pessoa não tem lido o suficiente. E a terapia para solucionar esse problema também não é complicada, basta ler e escrever mais”, acrescenta Castro, apontado como um dos mais renomados especialistas em educação do país.

Mesma opinião tem o mestre em educação e professor do curso de pedagogia da Fumec, Aroldo Dias Lacerda. “Escrever sobre qualquer tema e apresentar uma proposta envolvem interpretação de texto. Só se consegue interpretar a partir da prática da leitura constante, que vai além do material didático”.

Para Dias Lacerda, os ensinos Infantil e Fundamental têm apresentado avanços no Brasil, mas o Médio carece de melhorias. A solução, diz, passa por valorização dos profissionais e mudanças na rede curricular. “É preciso aproximar a escola da vida real do estudante. Isso ainda está muito desconectado”.

 

Poucos

Apenas 250 candidatos, no Brasil, receberam nota máxima (1.000 pontos) na redação do Enem. Neste seleto grupo está o estudante de Juiz de Fora, Luis Arthur Haddad, de 19 anos. Aluno do colégio Santa Catarina, que integra a lista das melhores instituições de Minas, conforme as últimas avaliações, ele conta que estudava as disciplinas cobradas mais de dez horas por dia.

A preparação para a redação também não foi fácil. Luis se matriculou em um curso específico de produção de textos e redigia pelo menos dois todos os sábados. Amante da literatura, ele ainda arrumava tempo para obras consagradas. Atualmente, lê o Código da Vinci, de Dan Brown.

“Estava confiante que poderia me sair bem, mas ter fechado a prova foi uma surpresa muito agradável”, conta. Sonhando com uma vaga no concorrido curso de engenharia elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), ele disse que vai aproveitar o restante do mês para descansar e curtir a família, os amigos e a namorada.

Redação do Jornal Nova Imprensa Hoje em Dia

Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!