O número de roubos em Minas Gerais teve um aumento de 18,4%, conforme último balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), nesta segunda-feira (24). Os dados se referem ao período de janeiro a julho deste ano.

Além de Belo Horizonte (+15,61%), 12 municípios registraram crescimento para este tipo de crime: Betim (+24,32%), Contagem (+22,36%), Divinópolis (+6,28%), Governador Valadares (+18,02%), Ipatinga (+17,48%), Juiz de Fora (+7,88%), Montes Claros (+41,46%), Nova Serrana (+3,79%), Ribeirão das Neves (+85,43%), Santa Luzia (+72,45%), Sete Lagoas (+41,99%) e Uberaba (+1,53%).

Da mesma forma, levando em conta apenas o mês de julho, cresceram as ocorrências do estupro de vulnerável consumado, 5,65%; o estupro de vulnerável tentado, 75%, e o roubo consumado, 25,91%.

Os dados foram apurados pela Seds por meio do Centro Integrado de Informações de Defesa Social (Cinds), vinculado à Subsecretaria de Promoção de Qualidade e Integração do Sistema de Defesa Social (Supid).

Janeiro a julho

De janeiro a julho de 2015, Minas Gerais manteve a queda nas ocorrências de crimes considerados violentos, em relação ao mesmo período de 2014. Nessa base de comparação, os homicídios consumados recuaram 10,2%, os homicídios tentados, 15,42%; os estupros consumados, 3,40%, os estupros tentados, 15,81%; os estupros de vulneráveis consumados, 8%; os estupros de vulneráveis tentados, 2,10%; os casos de extorsão mediante sequestro, 31,94%, e de sequestro e cárcere privado, 18,86%.

O único tipo de crime nesse grupo a apresentar alta foi a de roubos consumados, com evolução de 18,4% no Estado.

Julho

No último mês apurado, seis das nove naturezas de crimes classificados como violentos tiveram redução em Minas Gerais, frente a julho de 2014. Homicídios consumados caíram 4,21%, homicídios tentados, 11,03%; estupros consumados, 17,17%; estupros tentados, 16,13%; extorsões mediante sequestro, 41,67%, e sequestro e cárcere privado, 45,45%.

Aumentaram as ocorrências de estupro de vulnerável consumado, 5,65%; o estupro de vulnerável tentado, 75%, e o roubo consumado, 25,91%.

Somente em Belo Horizonte, nos primeiros sete meses de 2015, o estupro consumado teve alta de 8,70%; já o roubo consumado cresceu 15,61%.

Outros crimes

As naturezas criminais não classificadas como crimes violentos e que passaram a ser divulgadas em 2015 pela Seds, assim como as de estupro consumado de vulnerável e de estupro tentado de vulnerável, também tiveram diminuição de ocorrências nos primeiros sete meses de 2015, em Minas Gerais, em relação ao mesmo período de 2014.

Os casos de extorsão consumada recuaram 23,03%, os de lesão corporal consumada, 12,23%, e os de furto consumado, 1,76%.

Em julho, frente ao mesmo mês de 2014, o quadro também é de queda. Extorsões consumadas tiveram redução de 23,65%, casos de lesão corporal consumada, 8,40%, e de furto consumado, 3,07%.

Principais municípios

Entre os 14 municípios selecionados pelo Sistema de Defesa Social para analisar a dinâmica de criminalidade no Estado, 13 tiveram redução do número de registros de homicídios consumados de janeiro a julho de 2015, frente a igual período de 2014.

Além de Belo Horizonte, Betim (-2,48%), Contagem (-18,24%), Divinópolis (-15,38%), Governador Valadares (-40,24%), Ipatinga (-4,35%), Juiz de Fora (-10,96%), Montes Claros (-6,99%), Nova Serrana (-26,32%), Ribeirão das Neves (-10%), Santa Luzia (-24%), Sete Lagoas (-17.07%) e Uberlândia (-28,95%). O único a apresentar alta foi Uberaba (+23,33).

Em relação aos homicídios tentados, a maior parte dos municípios também apresentou declínio de ocorrências. Além de Belo Horizonte, Contagem (-11,56%), Divinópolis (-19,23%), Ipatinga (-23,08%), Juiz de Fora (-16,79%), Montes Claros (-5,71%), Nova Serrana (-56,67%), Ribeirão das Neves (-3,23%), Sete Lagoas (-3,28%) e Uberlândia (-40%). A maior queda foi registrada em Uberaba (-68,75%).

Tiveram aumento Betim (+0,94%), Governador Valadares (+1,92%) e Santa Luzia (+23,68%).

Super Notícia

print
Comentários