A Seção de Comunicação Organizacional do 63º Batalhão da Polícia Militar divulgou nesta quinta-feira (18), um levantamento sobre roubos em Formiga no primeiro quadrimestre deste ano. No levantamento, os resultados não são demonstrados em números, mas em porcentagem. Segundo a polícia, em comparação com o mesmo período do ano passado, os resultados de janeiro a abril de 2017 mostram uma redução de 28,17% no registro deste tipo de crime em Formiga.

Em todos os meses de 2017 ocorreram menos registros de roubo do que nos mesmos meses correspondentes no ano de 2016, ou seja, a redução tem sido uma constante no primeiro quadrimestre deste ano, conforme ilustra o gráfico abaixo:

Além da redução no número de roubos registrados na cidade, também houve um aumento de 22,22% no número de prisões por este crime, demonstrando que, tanto a prevenção quanto a repressão qualificada realizadas pela Polícia Militar, na cidade, tem, segundo a PM, produzido resultados objetivos. Abaixo, gráfico comparativo das prisões realizadas de janeiro a abril em 2016 e em 2017:

Os dados divulgados pela PM, foram repassados à Seção de Comunicação Organizacional pela Seção de Emprego Operacional

Se por um lado os resultados objetivos estão sendo alcançados através de muito trabalho e comprometimento dos policiais militares e demais servidores dos órgãos de defesa social que atuam no município, por outro se percebe que algumas pessoas têm a falsa impressão de que o crime está aumentando na cidade, enquanto, na verdade, está diminuindo.

Segundo o Chefe da Seção de Comunicação Organizacional do 63º Batalhão, Tenente Rodrigo: “Acreditamos que algumas pessoas fazem esta confusão, em parte, porque os registros de roubo ocorreram de forma intermitente, ou seja, foram vários dias sem nenhum registro e depois alguns registros ocorridos na mesma semana, de modo que algumas pessoas tomaram aquela semana mais crítica como representativa da criminalidade na cidade, chegando a difundir esta informação, enquanto, na verdade, foi um período atípico. Outro fator que vem contribuindo para esta equivocada sensação de insegurança e que traz prejuízos para toda a população são as mensagens de ocorrências policiais encaminhadas por meio de redes sociais, notadamente facebook e whatsapp. Percebemos que uma mesma ocorrência é repassada várias vezes, em períodos diferentes, de modo que um roubo passa a ser noticiado como se fossem vários. Já encontrei com pessoas me contando sobre uma ocorrência que teria acontecido na noite anterior e, ao verificar, o fato nem era em Formiga ou, quando era, muitas vezes havia ocorrido dias ou semanas atrás. Pedimos às pessoas que não encaminhem estas mensagens sem antes verificar a veracidade de seu conteúdo. Ainda há muito a fazer, mas temos a convicção de que estamos no caminho certo.”

Imprimir

Comentários