Após os tradicionais cumprimentos natalinos – abraços e outros mimos regados com boa bebida, acompanhada, como sempre, de guloseimas e outros petiscos que tradicionalmente são servidos nesta importante data; já recolhido ao meu leito e ainda pensando se a dor de cabeça da manhã seguinte seria maior ou de menor intensidade que a do ano passado, tentei, mesmo relutando contra, responder a pergunta acima. Isto, como não poderia deixar de ocorrer, me manteve aceso (acordado) até o raiar do sol no dia 25.

Éclaro que as manchetes que mais me chamaram a atenção nos dias anteriores, logo vieram à mente e junto com elas, a figura sarcástica do atual ocupante da presidência da República, fazendo reverberar em minha cabeça, aquela frase que marcou a fala dele horas antes e, certamente, ofendeu a tantos quantos viram sua intimidade ser invadida por aquele pronunciamento pífio que tomou de assalto os lares dos brasileiros: do mais humilde ao mais abastado, já que aquela m… foi retransmitida, obrigatoriamente, por todos os canais televisivos.

E aí, como responder à afirmativa de sua excelência “O Brasil está mais barato para viver”! “Está mais barato para comer, para vestir, para morar”, recitada por aquele “cara-de-pau” que teve a coragem de recitá-la, em  alto e bom som?

Foi aí que de imediato pensei:  Ele tem razão. É óbvio que para ele e toda a camarilha que o cerca lá em Brasília a coisa deve estar assim mesmo. Cada vez melhor e mais lucrativa! Claro, pois somos nós que bancamos toda aquela mordomia, assim como as dezenas de jantares e almoços que nos últimos meses ele ofereceu ao bando de eleitos, todos por nós mesmos; com o único objetivo de comprar o voto daqueles canalhas para aprovarem projetos como aquele em que eles pretendem modificar o sistema da Previdência. Por quê? Simplesmente porque sabem que sem isto, as nababescas aposentadorias deles mesmo, a turma de cima da pirâmide social, nos três poderes, sem distinção, corre o risco de um dia não mais serem suportadas.

A eles tudo, ao povo, nada! Nem saúde, nem educação e muito menos segurança! Quanto pior para nós, melhor para eles, todos! Os que foram eleitos, os que usurparam o poder e todo aquele bando que ocupa ministérios e demais repartições públicas, sem que sequer precisassem prestar um concurso. Foram e são todos nomeados a partir dos conchavos políticos bancados por aquelas organizações que hoje sabemos, são criminosas e que outrora se denominavam partidos políticos.

Esperar o quê de 2018, quando sabemos que na ponta do balcão de negociações está aquela figura asquerosa que atende pelo nome de Marum e quejáavisou em rede nacional que os Estados que nãovotarem de acordo com o que o“senhor mestre mandar”, serão riscados da lista dos que poderão ser atendidos pelo dinheiro público que será distribuído a Deus dará, pelos bancos oficiais?

E tome aumento de combustíveis e derivados de petróleo! E para completar, que o povo brasileiro se prepare para arcar com muitos outros por cento de aumento nas tarifas de energia.

E tudo isto se coroa com certas decisões da turma do STF, que parecer estar deitada eternamente em berço esplêndido. Mais notadamente por aqueles que são capitaneados pelo Dr. Gilmar, o ilegítimo representante de Deus nesta terra e que por suas declarações e votos, aqui não merece sequer que os analisemos.

Enquanto isto banqueiros, doleiros, senadores, deputados, as digníssimas esposas de muitos destes, ex-governadores e outros sócios de carteirinha deste bando de facínoras, continuam soltos e mais que livres. Alguns apenas ostentando as tais tornozeleiras, mas, como os demais,  curtindo em suas mansões as delícias que o dinheiro roubado lhes proporciona.

A bem da verdade épreciso lembrar que, alguns destes, podiam até a tarde de quinta-feira (28), se mostrar mais preocupados, já que calculavam com os mentores da encomendada medida (Indulto de Natal) o quanto economizariam ao se livrar da cobrança judicial a eles imposta e certamente se preparavam para negociar a forma do pagamento da ajudinha que lhes seria exigida, por quem de direito.  Por quem? Por quem mesmo?

Só que, felizmente e em cima da hora, já no final da tarde, a presidente do STF, a mineira CármenLúcia, atendeu pedido feito pela Procuradora Geral da República, Raquel Dodge e concedeu liminar suspendendo os efeitos do Indulto. Menos mal!

Mas, éainda sob a ameaçade sua excelênciao presidente, informando que se não vier a ser aprovada a tal Reforma da Previdência, serão suspensos os pagamentos aos aposentados, que nós, diante deste caos, assistimos aterrorizados a um monte de Estados, país afora,nãopagando, –  alguns com mais de ano de atraso – o 13ºa seus funcionários. Mesmo assim, dentro de seus jatinhos, indo ou voltando de feriados prolongados em locais paradisíacos, alguns dos senhores governadores, sem o menor escrúpulo, lá do alto, dão a canetada fatal por meios eletrônicos e informam àpatuleiaque o salário também em atraso, será pago em “n” parcelas, a partir, é claro, do ano próximo.

Épor estas e outras que no estertor de 2017, ao contrário do que sempre fizemos em anos anteriores, abandonamos de vez o velho otimismo e aquela crença de que o país que se diz abençoado por Deus e que é bonito por natureza, nos permitiria imaginar melhorias nas condições de vida no ano vindouro.

Finalmente concluí que, com este povinho que está no poder, eleito ou não por este povão que comprovadamente não soube votar, o país em 2018 certamente passará por muitas convulsões, sem as quais dificilmente sobreviverá a ponto de ver melhorar as condições de vida de seu povo.

Infelizmente, pelo andar da carruagem é isto que imagino, podemos esperar de 2018!

 

 

Imprimir

Comentários