O Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino está a todo vapor em Formiga, colocando os alunos formiguenses em um ritmo intenso de criação com o objetivo de retratar a obra e a vida do escritor mineiro.
Nas escolas, o projeto será desenvolvido em três etapas: primeiro, por meio de atividades/trabalhos com os alunos com a temática do Fernando Sabino, culminando na montagem de uma exposição em cada uma das escolas.
A segunda etapa é a exposição ?Encontro Marcado com Fernando Sabino?, que será realizada durante 30 dias e contará com painéis de fotos e textos que retratam a vida e a obra de Fernando Sabino; com um centro de pesquisa sobre a vida e a obra.
A outra etapa é a mostra de filmes, que será realizada durante as duas ações anteriores, com exibição de filmes na Emart, com cessão dos direitos autorais.
Escola Célia de Melo
Os alunos da Escola Municipal Célia de Melo estão participando da biografia do escritor Fernando Sabino.
Segundo informou a diretoria da escola, a biografia foi espalhada aos poucos pela escola em forma de pistas para aguçar a curiosidade dos alunos, desafiando-os a descobrir quem era a pessoa mencionada.
Foi dado um prêmio para o primeiro aluno que chegasse à biblioteca informando que pesquisou as pistas e dissesse o nome do autor.
Escola José Honorato de Castro
Na quarta-feira (17), a Escola Municipal José Honorato de Castro promoveu uma exposição de atividades sobre a obra do escritor Fernando Sabino.
Todas as turmas do 2º período da educação infantil ao 5º ano do ensino fundamental estudaram sobre a sua biografia, assistiram a alguns filmes de curta metragem, entre eles: Meu melhor amigo e a Galinha ao molho pardo.
Os estudantes desenvolveram atividades relacionadas às crônicas, poemas e textos literários do autor. A partir do estudo, fizeram trabalhos artísticos, como: modelagem em massinha, dobraduras, pintura, desenhos livres, fichas de leitura, mosaico, painéis, puxa-saco, móbile, reescrita e produções de texto, álbum seriado, etc.
Por meio do desenvolvimento do projeto, os alunos conheceram mais sobre as obras do autor e adquiriram gosto pela literatura brasileira, em especial as crônicas.
Visita ilustre
Dando continuidade às atividades do Projeto ?Encontro Marcado com Fernando Sabino?, o filho do escritor, Bernardo Sabino, visitou na terça-feira (16) as Escolas Municipais Franklin de Carvalho, Célia de Melo Eufrásio, Benedita Gomide Leite e Miralda da Silva Carvalho.
Ele esteve nos estabelecimentos de ensino acompanhado pelas assessoras pedagógicas da Secretaria Municipal de Educação, Fátima Belo, Beatriz Martins e Aparecida Costa.
Na oportunidade, o filho de Fernando Sabino conversou com alunos e funcionários das escolas sobre a vida e obra do escritor e pôde também apreciar vários trabalhos, relacionados a seu pai, que foram confeccionados pelos alunos das escolas.
Já na quarta-feira (17), foi a vez de Bernardo Sabino visitar a Escola Municipal Antônio do Couto, localizada na comunidade de Albertos. Atualmente a escola atende a 119 alunos do 1º ao 5º ano.
Conheça o escritor
Fernando Tavares Sabino nasceu em Belo Horizonte em 1923. Foi um grande escritor, cronista e jornalista brasileiro.
No início da década de 1940, começou a cursar direito e ingressou no jornalismo como redator da Folha de Minas. O primeiro livro de contos, Os grilos não cantam mais, foi publicado em 1941, no Rio de Janeiro quando o autor tinha apenas dezoito anos, e sendo que alguns contos do livro foram escritos quando Fernando Sabino tinha apenas 14 anos.
O encontro marcado, uma de suas obras mais conhecidas, foi lançada em 1956, ganhando edições até no exterior, além de ser adaptada para o teatro. Sabino decidiu, então (1957), viver exclusivamente como escritor e jornalista. Iniciou uma produção diária de crônicas para o Jornal do Brasil, escrevendo mensalmente também para a revista Senhor.
Em 1960, Fernando Sabino publicou o livro O homem nu, pela Editora do Autor, fundada por ele, Rubem Braga e Walter Acosta. Publicou, em 1962, A mulher do vizinho, que recebeu o Prêmio Fernando Chinaglia, do Pen Club do Brasil.
Publicou O grande mentecapto em 1979, iniciado mais de trinta anos antes. A obra, que lhe rendeu o Prêmio Jabuti, e acabaria sendo adaptada para o cinema, com direção de Oswaldo Caldeira, em 1989, e também para o teatro. Em julho de 1999, recebeu daAcademia Brasileira de Letras o prêmio Machado de Assis pelo conjunto de sua obra.
Faleceu em sua casa em Ipanema (zona sul no Rio de Janeiro), em 2004, vítima de T.A.F no fígado, às vésperas do 81º aniversário.

print
Comentários