A taxa de ocupação das UTIs (unidades de tratamento intensivo) em Minas Gerais chegou a 90,66% pela primeira vez durante a pandemia, nesta terça-feira (23). O índice mostra que apenas uma unidade em cada 10 está disponível para receber pacientes.

Os dados são da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e também mostram um aumento na busca de atendimentos por pacientes com covid-19 ou com suspeita da doença que já matou 720 mineiros.

Segundo o balanço, 16,37% dos 2.901 leitos de terapia complexa da rede pública do Estado estavam ocupados com casos relacionados ao coronavírus até esta manhã. Ontem, o percentual estava em 15,15%. Já na última sexta-feira o total era de 10,08%.

O aumento crescente dos casos de covid-19 tem deixado o Governo de Minas em alerta. Neste fim de semana, o governador Romeu Zema (Novo) admitiu que o Estado estuda adotar um lockdown em regiões que apresentarem um maior número de infecções.

Durante coletiva nesta segunda-feira (22), o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, afirmou que Minas segue em direção ao pico da doença, previsto para meados de julho. Com isto, as próximas semanas tendem a exigir mais atenção da população.

Apesar da situação, Amaral disse que ainda não é o momento de abrir o hospital de campanha montado em Belo Horizonte, já que o foco da estrutura são casos mais leves. Segundo o secretário, a equipe de saúde trabalha para inaugurar novos leitos de UTI em hospitais já existentes.

—Esse aumento segue as projeções que fizemos nos últimos dias. O que nós buscamos neste momento é que o isolamento seja adequado.

De acordo com a SES, até esta manhã, a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria no Estado estava em 75,70%.

Matéria do R7

Imprimir
Comentários