Belo Horizonte, Betim, Contagem, Esmeraldas, Nova Lima, Ribeirão das Neves, Sabará e Santa Luzia. Oito cidades da região metropolitana concentram 70% dos casos de Covid-19 em Minas. O último dado disponibilizado aponta 397 confirmações da doença no Estado, sendo 277 na Grande BH.


A proximidade à capital e a maior densidade populacional nesses locais ajudam a explicar este cenário inicial da infecção. No entanto, devido à fácil disseminação do vírus e à comprovação de que já ocorre transmissão comunitária, o alerta para cuidados e isolamento social permanece para todos os municípios.

Segundo o diretor da Sociedade Mineira de Infectologia Carlos Starling, este cenário já era previsto. Ele cita como exemplo São Paulo, que lidera com folga os casos no país. “Essa é uma epidemia de fases. Ela chega em BH, mas aqui você tem conexão com o Estado inteiro. Então, vai evoluir para o interior”, garante o médico, que faz questão de destacar a importância de cuidados em todas as cidades.

Dados
O mapeamento da enfermidade consta no boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (3) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Conforme o balanço da SES, Minas já registrou seis mortes pelo novo coronavírus – as quatro informadas na última quinta e outras duas em Uberlândia. Porém, os números ainda podem crescer. Outros 64 óbitos são investigados. Ao todo, são mais de 41 mil casos suspeitos da doença.

O mesmo comunicado não traz informações sobre uma mulher de 75 anos que teria morrido por coronavírus no interior do Estado. Nessa quinta-feira, o Ministério da Saúde afirmou, durante coletiva, que esse caso teria acontecido em janeiro e seria o primeiro registro da doença no país. No dia seguinte, a pasta voltou atrás, dizendo que houve um erro no sistema e a paciente teria sido internada, na verdade, em março.

Matéria do Hoje em Dia


Imprimir
Comentários