Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Candeias durante operação “Poeira Vermelha – Taquaril fase 2”, da Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (24). A ação de combate à extração ilegal de minério de ferro também é realizada em Belo Horizonte e no estado de São Paulo.

De acordo com a polícia, foram expedidos pela Justiça, na capital mineira, 12 mandados de busca e apreensão. Nesta quinta, as buscas foram feitas nos escritórios e residências de sócios e administradores das empresas investigadas.

Ainda segundo a polícia, foram apreendidos documentos e computadores. O objetivo é comprovar crimes de mineração ilegal, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. São dez endereços na Grande BH, um na cidade de Candeias e um em São Paulo.

A primeira fase da operação foi em julho deste ano. Na ocasião, a Polícia Federal obteve o bloqueio de mais de R$ 38 milhões e a suspensão das atividades de extração ilegal de recursos minerais, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Investigações

São investigados empresários e seus sócios ligados a empresas no ramo de extração mineral. De acordo com a Polícia, desde o início das investigações, na primeira fase da operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências dos envolvidos, sendo apreendido documentos, computadores e mídias.

Há um ano, a “Operação Poeira Vermelha” foi deflagrada, para combater a extração irregular de recursos minerais em Nova Lima, sem autorização dos órgãos ambientais competentes. Em dezembro de 2019, teve a fase “Caeté”, quando a PF apreendeu provas sobre o crime.

A 11ª Vara Federal de Belo Horizonte, determinou o bloqueio de todos os valores mantidos em contas bancárias, aplicações e fundos de previdência de pessoas físicas e jurídicas investigadas, além da suspensão das atividades das empresas nos locais em que era realizada a extração ilegal de minério de ferro.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários