Operação Lava-Jato investiga contratos fraudulentos na Caixa e no Ministério da Saúde

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná

Contratos de publicidade da Caixa e do Ministério da Saúde, assinados entre 2010 e 2014, estão sendo investigados na 11ª fase da Operação Lava-Jato, deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal. A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná, que ainda não terminou. A PF informou que ainda não foram apurados o valor total da fraude.O roubo promovido por esses crápulas é tão grande que até fica até difícil pra PF estimular um valor aproximado do roubo, disse o delegado José Rodrigues de Abreu

Na operação de hoje, foram preso ex-deputados André Vargas, que teve o mandato cassado e foi expulso do PT, Luiz Argôlo (SD-BA) e Pedro Corrêa, que já cumpre prisão pelo mensalão do PT, suspeitos de envolvimento na fraude.
Também foram presos a secretária de Argôlo, Helia Santos, e Ricardo Hoffman, diretor de uma agência de publicidade. Além destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Aém destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Na operação desta manhã foi decretado também o sequestro de um imóvel de alto padrão na cidade de Londrina, no Paraná, onde o doleiro Alberto Youssef começou sua atuação.

print
Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Operação Lava-Jato investiga contratos fraudulentos na Caixa e no Ministério da Saúde

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná.

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná.

 

Contratos de publicidade da Caixa e do Ministério da Saúde, assinados entre 2010 e 2014, estão sendo investigados na 11ª fase da Operação Lava-Jato, deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal. A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná, que ainda não terminou. A PF informou que ainda não foram apurados o valor total da fraude.”O roubo promovido por esses crápulas é tão grande que até fica até difícil pra PF estimular um valor aproximado do roubo”, disse o delegado José Rodrigues de Abreu

Na operação de hoje, foram preso ex-deputados André Vargas, que teve o mandato cassado e foi expulso do PT, Luiz Argôlo (SD-BA) e Pedro Corrêa, que já cumpre prisão pelo mensalão do PT, suspeitos de envolvimento na fraude.

Também foram presos a secretária de Argôlo, Helia Santos, e Ricardo Hoffman, diretor de uma agência de publicidade. Além destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Aém destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Na operação desta manhã foi decretado também o sequestro de um imóvel de alto padrão na cidade de Londrina, no Paraná, onde o doleiro Alberto Youssef começou sua atuação.

Redação do Jornal Nova Imprensa Estado de Minas

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Operação Lava-Jato investiga contratos fraudulentos na Caixa e no Ministério da Saúde

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná.

A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná.

 

Contratos de publicidade da Caixa e do Ministério da Saúde, assinados entre 2010 e 2014, estão sendo investigados na 11ª fase da Operação Lava-Jato, deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal. A informação foi revelada hoje durante coletiva de agentes da PF, em Curitiba, no Paraná, que ainda não terminou. A PF informou que ainda não foram apurados o valor total da fraude.”O roubo promovido por esses crápulas é tão grande que até fica até difícil pra PF estimular um valor aproximado do roubo”, disse o delegado José Rodrigues de Abreu

Na operação de hoje, foram preso ex-deputados André Vargas, que teve o mandato cassado e foi expulso do PT, Luiz Argôlo (SD-BA) e Pedro Corrêa, que já cumpre prisão pelo mensalão do PT, suspeitos de envolvimento na fraude.

Também foram presos a secretária de Argôlo, Helia Santos, e Ricardo Hoffman, diretor de uma agência de publicidade. Além destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Aém destes foram detidos o irmão de André Vargas, Leon Vargas, e Ivan Vernon da Silva Torres. Na operação desta manhã foi decretado também o sequestro de um imóvel de alto padrão na cidade de Londrina, no Paraná, onde o doleiro Alberto Youssef começou sua atuação.

Redação do Jornal Nova Imprensa Estado de Minas

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Últimas Notícias