Instituída em dezembro de 2011 pela lei municipal 4557/11, a Orquestra Sinfônica das Areias Brancas – que ficou sem suas atividades principais e quase desativada na gestão passada – será reativada.

Para isso, a Prefeitura nomeou uma nova maestrina para a orquestra, a formiguense Sâmea Alves, e abriu inscrições para montagem da orquestra. O prazo para efetuar a inscrição vai até o dia 10 de fevereiro.

São 83 vagas distribuídas entre os instrumentos: violino (24 vagas), viola (8), violoncelo (8), contrabaixo (4), flauta (4), oboé (4), clarinete (4), fagote (4), saxofone (8), trompa (4), trompete (2), trombone (3), tuba (1), piano (1), violão (1), bateria (1) e percussão (2). No caso dos instrumentos de cordas, alunos iniciantes também poderão se inscrever. As inscrições podem ser feitas na Secretaria de Cultura (Centro Cultural Casa do Engenheiro) ou pelo e-mail contato.osab@yahoo.com.

No dia 18 de fevereiro acontecerá uma audição com os músicos interessados em compor a orquestra. Segundo a regente Sâmea Alves, o objetivo da audição é apenas conhecer o perfil dos músicos e suas habilidades e deficiências técnicas antes do início dos ensaios, “dessa forma, é possível fazer um planejamento das atividades em acordo com o nível do grupo, visando o desenvolvimento dos músicos e, consequentemente, da orquestra desde o primeiro ensaio”.

O repertório da orquestra incluirá obras eruditas e populares, como temas de filmes. Os ensaios começarão em março no Museu Municipal Francisco Fonseca.

A maestrina

Sâmea Alves iniciou os estudos musicais aos 10 anos de idade na Corporação Musical Lira São José (Chapada) e na Escola Municipal de Música Eunézimo Lima (Emmel), onde teve aulas de clarineta e piano com os professores Holmes Molinari, Moisés Menezes, Eliana Lima e Gibran Zorkot.

Em 2012 ingressou no bacharelado em música com habilitação em regência da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) onde foi aluna de regentes de grandes grupos como da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e do Coral Lírico de Minas Gerais. Carrega no currículo vários cursos e festivais internacionais de música com grandes nomes da regência como Osvaldo Ferreira (Portugal), Ragnar Bohlin (Suécia) e Marcos Arakaki (Brasil). Por último foi selecionada para participar do 8º Laboratório de Regência da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais com o maestro Fábio Mechetti. Dos 15 regentes aprovados, Sâmea Alves foi a única selecionada de Minas Gerais para este laboratório.

Sâmea já foi regente assistente do Coral Vozes do Campus da UFMG e desde o início de 2013 é regente da Orquestra do Centro de Extensão Musical da instituição, com a qual já realizou inúmeros concertos em Belo Horizonte e participou de gravação de CD com a Orquestra do Centro de Musicalização Infantil da UFMG.

O secretário de Cultura, Aluísio Veloso e a maestrina Sâmea Alves, em visita ao Nova Imprensa (Foto: Priscila Rocha)

IMPRIMIR