Em uma sociedade administrada por pessoas que amam o dinheiro, os mais necessitados não tem privilégios, morrem de fome, sede e outros absurdos. Caso pessoas capazes, honestas, governassem este país, não haveria este genocídio em massa. Porém, sabemos, quanto mais tem, mais quer.

Os assassinatos ocorrem todos os dias, não apenas com um tiro, atropelamento, uma bala perdida, ataque do coração, câncer e outras. São mortes premeditadas por sanguessugas. Fazem e aprovam leis, que apenas beneficiam os governantes. Dentre elas temos; auxílio paletó, foro privilegiado, proibição de ser conduzido a um presídio comum, aposentadorias especiais, cumulações destas, só podem ser julgados por eles mesmos e outros absurdos de quem trapaceia. A lá Sir Millôr Fernandez, “eita congresso eficiente, ele mesmo rouba, ele mesmo investiga e ele mesmo absolve”.

Na outra ponta da régua, está o cidadão comum. Que paga impostos intermináveis e na retribuição destes, recebe o famoso temos que agendar, ou não há vagas, semana que vem chega e outras milhares de desculpas. Por que disto? Às verbas para os moribundos, se transformam em privilégios políticos. Ou seja, festas com a saúde alheia.

Lembra uma música; “eita espinheira danada, que o pobre atravessa para sobreviver”.

Pior em tudo isto, quando você acha que chegou ao fim do poço, surge outro absurdo. O Legislativo, Judiciário e Executivo, parecem lutar pelo Oscar; “quem é o pai da maior caca”.

Um dos poderes aprova uma lei de autoprivilégios, o outro, para não ficar atrás, faz uma mais absurda ainda.

Pareceentrega de Oscar; ladies and gentlemen, and Oscar goes to? Tá difícil a briga, tá pau a pau. Terá que ser resolvida no fhotoshop.

E os finalistas são;

  • STF abre licitação para aquisição de carros blindados.
  • Senadores vitalícios de seis meses
  • Em um país quebrado, presidente da república autoriza reajuste salarial de 16%, para o judiciário.

Isto parece nepotismo cruzado, cada poder, fecha os olhos para os absurdos cometidos pelo outro.

Assim, pessoas que necessitam de privilégios, por terem limitaçõesfisicas, motoras, psíquicas e outras, perecem. Pois não há verbas, para satisfazer as necessidades de quem precisa. Estas foram repassadas às autoridades,em forma de privilégios; auxílios, carros blindados, prisões especiais, gasolina para aviões da união e muitas outras.

“o que é muito difícil é você vencer a injustiça secular, que dilacera o Brasil em dois países distintos; o país dos privilegiados e o dos despossuídos”

                                                                     Ariano Suassuna

 

IMPRIMIR