Em publicação nas redes sociais, o formiguense padre Fábio de Melo se despediu de forma emocionada da mãe, dona Ana Maria Melo Silva, de 83 anos. Ela morreu vítima da Covid-19 nesse sábado (27), em Uberlândia. O sepultamento ocorreu em Formiga, no Cemitério do Rosário.

“O dia mais temido chegou. O dia de continuar neste mundo tão empobrecido, sem o precioso simbólico da filiação, sabendo que você não estará mais por aqui”, escreveu o religioso.

A postagem acompanha um vídeo do padre cantando a música “Onde Deus possa me ouvir”, no qual ele interage com a mãe durante a apresentação.

Leia o depoimento na íntegra:

Minha mãe partiu hoje. Logo cedo, como quem tem pressa de viver a eternidade. A mim resta a dor térrea, o ferimento que rasga o corpo e a alma. Ela me deu a vida num Sábado de Ramos, como hoje. Nossa simbiose reuniu as regras do nascer e do morrer.

Obrigado, minha dona Ana! Só Deus e nós sabemos o quanto fomos um do outro. Uma pertença que me fez sofrer, sorrir, amar, aprender, conjugar todos os verbos que tornaram válida a aventura de nossa existência. Seguirei hospedando sua memória, levando tudo o que couber dentro de mim.

Um dia, quando eu estava em Fátima, Portugal, eu liguei para a senhora e disse: “mãe, eu estou em Fátima!”. A senhora imediatamente me disse: “Então, quando você estiver diante de Nossa Senhora, diga que eu mandei um beijo pra ela. Fala que é a Ana Maria, ela sabe quem é…”

Sim, minha mãe, meu pedaço de mim. Na eternidade, onde a pureza e a bondade prevalecem, todos sabem quem a senhora é.

Leve de mim tudo o que quiser, tudo o que puder. O dia mais temido chegou. O dia de continuar neste mundo tão empobrecido, sem o precioso simbólico da filiação, sabendo que você não estará mais por aqui.

Guarde meu coração com o seu. Até o dia que Deus voltar a me permitir deitar a cabeça no seu colo, enquanto você faz carinho nos meus cabelos, me chamando de Fabinho.

Obrigado a todos vocês que rezaram, obrigado pelo amor com que vocês sempre nos trataram.

Fonte: O Tempo Online

Imprimir
Comentários