A Polícia Civil em São Roque de Minas abriu, na quarta-feira (13), um inquérito para apurar um caso de suposto abuso sexual envolvendo um homem de 40 anos e a filha de 14.

De acordo com o G1, o portal teve acesso a um diálogo entre ele e a filha, onde eles conversam sobre os abusos. A polícia também teve acesso ao diálogo e disse que apura a veracidade do conteúdo.

O homem é funcionário público da Prefeitura de São Roque de Minas e está cedido para Instituto de Meio Ambiente (IMA). O pai teve a identidade preservada.

Foi solicitada uma nota à Prefeitura e ao IMA sobre o assunto.

Polícia Civil

Segundo a Polícia Civil, o suspeito, que é detentor da guarda da adolescente, já prestou depoimento. Não foram repassados detalhes da oitiva. A filha está em um abrigo para menores em Piumhi e ainda não foi ouvida.

A Civil pontuou ainda que as investigações seguem em andamento para tomada de todas as providências cabíveis e que outras informações serão repassadas em momento oportuno.

Conteúdo do diálogo

Em um trecho de uma conversa por aplicativo de celular, a menina descreve atividades de um atendimento psicológico. Ela diz: “Tive que fazer uns trabalhos lá. Desenhos, ela ia falando uma palavra e eu ia desenhando oq vinha na minha cabeça, nem vou mais pro psicólogo eu acho”.

O pai questiona: “Uai porque” e em seguida ela diz: “Pq ela fica perguntando muito da minha vida e eu tenho medo de contar das vezes q vc passou a mão em mim e chupou meu peito.

Na segunda parte da conversa o suspeito diz que a filha não precisa parar com os atendimentos psicológicos e a menina responde: “Não consigo me segurar, começo a chorar lá e conto tudo”.

Na sequencia o pai afirma: “Se achar q deve contar pode contar! Eu errei, não devia nem ter passado pomada aquelas vezes”. A filha retruca: “Isso é abuso e da cadeia” e ele fala: “Eu sei. Pesso desculpas foi sem maldade”. Na sequência ele finaliza: “Mas se me prenderem tem problemas não! Eu errei”

Fonte: G1

 

print
Comentários